app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Opinião

Cuidado com o ‘Efeito do Feriado de Natal’

.

Por Max Lima - médico especialista em cardiologia e terapia intensiva | Edição do dia 03/12/2021 - Matéria atualizada em 02/12/2021 às 23h05

Final de ano é comum as festas com muita comida e bebida, gerando um trabalho a mais para o nosso sistema cardiovascular. Com isso todos estamos sujeitos ao chamado “Efeito do Feriado de Natal”, ou em inglês, “Christmas holiday effect” que é caracterizado pela elevada mortalidade cardiovascular no período de 25 de Dezembro a 7 de Janeiro.

Num estudo Neo- Zelandês, foi analisada a mortalidade no período de festas por 25 anos, tendo como resultado 197.109 mortes de causa cardíaca, considerada maior que nas semanas que circundam as festas. Parece curioso, mas em 1978, Philip Ettinger descreveu o que ele chamou de “Síndrome Cardíaca dos Feriados”, em tradução livre, ou “Holiday Heart Syndrome” (HHS), em inglês.

A doença descrita foi denominada assim por ter sido diagnosticada nos primeiros pacientes em feriados públicos ou em fins de semana. A síndrome se manifesta pelo consumo agudo de álcool por indivíduos previamente saudáveis, que desencadeia arritmias, sendo a mais frequente dela a fibrilação atrial.

Também é comum acontecer uma intoxicação por álcool, o chamado Bloqueio Cardíaco dos Feriados. (“Holiday Heart Block”). O bloqueio é temporário e é revertido espontaneamente, após a metabolização da substância. O paciente deve ser monitorado para que esse bloqueio não evolua para bloqueios atrioventriculares mais graves. A intoxicação pode, ainda, agravar os atrasos de condução em pacientes com doença do nó atrioventricular preexistente. Além de causarem efeitos agudos, as festas de final de ano estão associadas a exacerbações de doenças preexistentes, como é o caso da Insuficiência Cardíaca. Foi demonstrado um aumento no número de internações hospitalares por insuficiência cardíaca. Os principais fatores de exacerbação citados são aumento do estresse emocional, menos exercícios e adiamento de consultas médicas ao longo do período de festas. Não estamos dizendo que não se deve confraternizar com a família, mas que os pacientes devem ficar atentos quanto aos efeitos do consumo agudo de álcool, horários de medicações e consultas médicas. Até porque o verdadeiro sentido do feriado é descansar e estar com que se gosta. Mas não se pode descuidar da saúde, pois o feriado passa, mas suas consequências por conta de exagero podem perdurar.

Mais matérias
desta edição