app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Opinião

A Copa é verde e amarela .

.

Por André Naves - especialista em Direitos Humanos e Sociais, defensor público federal, escritor, palestrante e professor. | Edição do dia 19/11/2022 - Matéria atualizada em 19/11/2022 às 04h00

A normalidade da vida brasileira, baseada nos constantes solavancos institucionais e crises sociais, vai, gradualmente, sendo restaurada após os intensos e calorosos conflitos partidários. Um sentimento misto de medo e de esperança com os acontecimentos futuros toma conta de todas as individualidades nacionais.

Contudo, a Copa do Mundo chega, providencialmente, neste ano, após as eleições, para unir o sentimento brasileiro. Quando a seleção canarinho entrar em campo, representará, junto com a própria pátria brasileira, os valores da democracia, da sustentabilidade socioambiental e dos direitos humanos. O nosso verde representa não só a biodiversidade pujante, mas sim toda a manifestação da vida em plenitude, seja individual, coletiva ou social, além de sua capacidade de fomentar a ação baseada na esperança de um futuro estruturalmente mais inclusivo. Ou seja, cada pessoa, ao torcer pelo Brasil, cantará em apoio ao verde da vida e do trabalho, na edificação de estruturas sociais sustentáveis, inclusivas e justas. Ao mesmo tempo, apoiará o amarelo das nossas maiores riquezas pátrias: o nosso povo, em sua diversidade, pluralidade e criatividade anárquica e sorridente. Dessa nossa interação popular, em que cada individualidade, tão diferentes em experiências, práticas e pensamentos, mas tão iguais em dignidade, deveres e direitos, interage coletivamente, fomentando o nascimento de inovações econômicas e sociais. O azul de nosso pavilhão nacional representa mais do que apenas nosso “céu risonho e límpido”, mas a utopia que deve guiar e orientar nossa caminhada e nossa ação: a utopia de um Brasil inclusivo e justo, ação essa que deve ser semeada nos bancos escolares, com a aplicação de uma política educacional inclusiva e coordenada com práticas esportivas, culturais e de proteção social, que floresce pelo trabalho disciplinado, perseverante e ético de todos. Esse é o sentido do lema nacional “Ordem e Progresso”: o esforço criterioso, com as devidas e implícitas moderações do amor, de todas as individualidades presentes na sociedade, na elaboração de fundamentos coletivos que sejam justos e inclusivos e, portanto, que determinem o progresso e a evolução de cada pessoa e de toda a nação. O branco, assim como universalmente se costuma convencionar, simboliza a paz. Mas não somente aquela que se conquista pela ausência de conflitos. A paz retratada pelo nosso branco é a da concretização e do aprofundamento dos direitos humanos. Assim, o verde representa a esperança na vida que deve se realizar; o amarelo, a riqueza de nossa diversidade popular; o azul, a educação e o trabalho pautados pela disciplina e pela perseverança; e o branco, a construção e a ampliação progressivas dos direitos humanos. Já a bandeira, como um todo, simboliza o futuro da sociedade brasileira, que há de ser estruturalmente sustentável, inclusiva e justa. Torcer pelo Brasil, não só agora, como sempre, é atuar ativamente para traduzir em realidade o conjunto de valores da liberdade, da inclusão social e da justiça! É hexa, Brasil!

Mais matérias
desta edição