app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Opinião

Construtores Alagoanos XVII .

.

Por Laurentino Veiga – ex-professor de Economia do Cesmac | Edição do dia 15/11/2023 - Matéria atualizada em 15/11/2023 às 04h00

O teatrólogo Bráulio Leite Júnior, nascido na cidade de Maceió no dia 24 de dezembro de 1931, véspera do Natal, funcionário público autárquico federal, graduou-se em Ciências Jurídicas Sociais pela Faculdade de Alagoas, bem como pela Fundação Brasileira de Teatro, destacou-se nas Letras e nas Artes com seu talento e capacidade de realizações ao longo de sua profícua existência.

Sendo assim, exercera diversos cargos, a saber: Diretor do Teatro Deodoro, Fundador e Diretor do Teatro de Arena Sérgio Cardoso, Diretor substituto do Departamento de Ciências e Cultura de Alagoas, Criador e Diretor da Fundação Teatro Deodoro de Alagoas (FUNTED) - 9 anos sob sua direção, Presidente da Sociedade de Cultura Artística de Alagoas por 3 mandatos, Fundador do Museu da Imagem e do Som de Alagoas (MISA), Fundador do Centro de Belas Artes de Alagoas (CENARTE), Fundador da Sala de Concertos Musicais Heckel Tavares, Fundador do Corais : As Andorinhas, e Os Jovens, da FUNTED; Fundador das Orquestras Filarmônica de Alagoas, Quinteto de Metais e de Câmara de Alagoas.

Aposentou-se após grandes serviços prestados à Cultura. Escolheu um agradável Sítio encravado na bucólica Paripueira. Lá, recebia autoridades, artistas, jornalistas, governadores como: Divaldo Suruagy, Guilherme Palmeira, Manoel Gomes de Barros, saudoso Deputado Federal Albérico Cordeiro. Numa visita, o conheci e, fiquei seu amigo, por várias décadas. Inteligente, afável com as pessoas, e, principalmente, um verdadeiro anfitrião para assuntos culturais. Sócio honorário do Instituto Histórico e Geográfico de Alagoas, membro efetivo da Associação Alagoana de Imprensa (AAI), sócio honorário da Academia Maceioense de Letras, membro da Ordem dos Jornalistas do Brasil, filiado à Loja Maçônica Perfeita Amizade Alagoana, dentre outros.

Fora recipendiário da Comenda Alberto Maranhão, conferida pelo Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Comenda Arariboia (Medalha João Pinheiro Neto), conferida pelo Governo do Rio de Janeiro, Comenda Jorge de Lima, Comenda Graciliano Ramos, Comenda Cidade do Recife, Medalha de Ouro Ator – II (Festival Nortista de Teatro Amador, Maceió). Afora isso, recebeu vários troféus de diversas entidades notáveis.

Diria que Bráulio Leite, em vida, consagrou-se como ator teatral, escritor de seu tempo, orador consagrado. Por essas razões, fora testemunha ocular de suas festas, comemorações alusivas às efemérides. Homem público probo, deixou marcas indeléveis que a poeira do tempo não conseguirá apagar.

Mais matérias
desta edição