app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Opinião

Como evitar fraudes em vaquinhas solidárias de fim de ano

.

Por Luiz Felipe Gheller - CEO do Vakinha | Edição do dia 17/11/2023 - Matéria atualizada em 17/11/2023 às 04h00


Doações solidárias têm um papel fundamental em nossa sociedade, especialmente durante o final de ano, quando muitas pessoas buscam espalhar o espírito natalino e contribuir para causas importantes. Segundo a World Giving Index, em 2021 o Brasil ocupava a 54ª posição no ranking mundial de doações. No quesito solidariedade, em uma pesquisa realizada em 2022, o Brasil saltou para 18°, ficando entre os 20 países mais solidários do mundo, o que demonstra o interesse ativo dos brasileiros na prática da caridade.

Infelizmente, essa época do ano também é mais propensa a fraudes, com pessoas mal intencionadas. Por isso, evitar transferir o dinheiro por meio de métodos não rastreáveis, como cartões-presente ou transferências diretas são algumas formas de fugir destes tipos de golpes. Optar por presentear por meio de métodos mais seguros, como cartões de crédito ou transferências bancárias, por exemplo, que deixam um rastro de papel ou eletrônico para possíveis verificações futuras, são algumas formas de garantir sua segurança e contribuir com a sociedade.

Mesmo através desses meios mais seguros, é importante saber se a história é verdadeira. Isso porque muitas fraudes em doações de final de ano acontecem por meio de solicitações por e-mail, telefone ou até mesmo redes sociais. A facilidade de alterar um desses dados no momento de compartilhar facilita muito as fraudes. Portanto é preciso ter cautela ao responder a essas solicitações e verificar a autenticidade da fonte antes de fazer qualquer ato. Utilizar uma plataforma renomada para fazer a doação fornece a transparência e segurança necessária para deixar o doador mais tranquilo.

Outra dica importante é nunca compartilhar informações pessoais, como números de telefone, CPF e de cartão de crédito ou outros dados sensíveis com organizações de caridade desconhecidas. As instituições legítimas não pedem informações pessoais sensíveis por telefone ou e-mail.

Além disso, as organizações de caridade estão dispostas a fornecer informações detalhadas sobre como suas doações serão usadas. Portanto, exija transparência e detalhes sobre como os fundos serão distribuídos e se a organização não puder fornecer informações claras sobre seus projetos e orçamentos, pense duas vezes antes de doar.

A generosidade e a vontade de ajudar os menos afortunados são admiráveis. Entretanto, existem pessoas que aproveitam da benevolência dos outros para agir de má fé. Portanto é crucial manter-se atento para evitar fraudes em doações solidárias de final de ano. Lembre-se de que, ao doar com sabedoria, o impacto positivo na vida daqueles que mais precisam, contribui para um mundo mais justo e compassivo.

Mais matérias
desta edição