app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5655
Opinião

A rainha do crime e do spoiler .

.

Por Mauro Condé - palestrante, consultor e fundador do Blog do Maluco | Edição do dia 23/11/2023 - Matéria atualizada em 23/11/2023 às 04h00

“O filho que era a mãe” ... título do filme “Psicose” quando foi lançado em Portugal, segundo uma saborosa lenda, que chamava a atenção para o estrago que causa a revelação de um spoiler antes do contato com uma obra.

Acabo de voltar de uma viagem rumo ao conhecimento, usando como meio de transporte excelentes livros envolvendo o tema de mistério e psicologia criminal, o gênero mais vendido no mundo.

Eles me levaram para Londres, na Inglaterra do final do ano de 1977, onde fui recebido pela escritora Ruth Rendell, a quem fui logo pedindo:

Ensina-me algo que eu ainda não saiba e tenha o poder de mudar a minha vida para melhor.

- Nunca confie em estranhos, seja pessoalmente, pela Internet ou pelo telefone (principalmente porque não existem algemas para a voz que aplica golpes).

Ruth é autora de vários livros premiados que li, entre os quais, te recomendo “ A Judgement In Stone (Um Assassino Entre Nós)”.

Seu estilo, situado na interseção entre Agatha Christie e Alfred Hitchcock lhe rendeu o apelido de “A Rainha do Crime”.

Sempre desafiando a sabedoria convencional, ela escreveu vários romances policiais sem policiais, sobrepondo as circunstâncias que levaram ao crime ao próprio processo de investigação do mesmo.

Estudiosa do comportamento humano, seu desejo era representar a sociedade como ela era.

E “Um Assassino Entre Nós” começa com a sua impressão digital, revelando o final da história logo na sua primeira linha:

“Eunice Parchman matou a família Coverdale porque não sabia ler nem escrever”.

Uma pedrada para o leitor, que descobre antes mesmo de mudar de página ... quem matou ... e quem morreu. Porém a maestria de Ruth para contar boas histórias nos prende até o fim. No interior da Inglaterra, na cidadezinha de Greeving, a respeitável e socialmente privilegiada família Coverdale vivia uma vida harmônica e feliz. Até contratarem como governanta, Eunice Parchman, uma total estranha que entra na vida dos Coverdales pela porta da frente. Apesar de se mostrar soturna e meio esquisita, ninguém diria que ela seria capaz de fazer o que fez, porque os membros da família descobriram, por acaso, um segredo pelo qual ela seria capaz de matar.

Um clássico que alerta para o quão fatal , literalmente, pode ser a falta de educação.

Mais matérias
desta edição