app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Opinião

Heran�a magistral

SÔNIA SILVA BRITO LIMA * Em recente audiência  com o presidente da Almagis (Associação dos Magistrados de Alagoas) – dr. Fernando Tourinho Souza, ouvindo-o discorrer sobre a problemática da Justiça para a realização efetiva da cidadania, sem surpresas, t

Por | Edição do dia 02/05/2002 - Matéria atualizada em 02/05/2002 às 00h00

SÔNIA SILVA BRITO LIMA * Em recente audiência  com o presidente da Almagis (Associação dos Magistrados de Alagoas) – dr. Fernando Tourinho Souza, ouvindo-o discorrer sobre a problemática da Justiça para a realização efetiva da cidadania, sem surpresas, tive a oportunidade de constatar a valiosidade daquele jovem jurista, dizendo-se aprendiz das lições oriundas do seu magnânimo ofício. Imagino-o criança, levado pela mão forte do seu genitor – desembargador e atual presidente do Tribunal de Justiça José Fernando Lima Souza, transmitindo-lhe ensinamentos vivos e sensíveis, conduzindo-o a um enriquecimento de pensamentos para a necessidade de comunhão humana e justo equilíbrio entre os poderes. Concluo que, desde pequeno, seu espírito já estava preparado para ver, observar e maravilhar-se diante das sábias orientações do pai – seu guia precioso e respeitado. No âmbito da sociologia as gerações se sucedem, uma ocupando o lugar da outra. Contudo, é prematuro no binômio dos Fernandos em tela, quando pai e filho encontram-se no ápice da pirâmide profissional, agindo e decidindo com independência, estilos próprios e comungando de um único objetivo – a grandeza e fortalecimento da Justiça como um fator de transformação social. Ora, se o pai preside o Tribunal de Justiça e o filho a Associação dos Magistrados, por certo encontrarão outros mecanismos legais, capazes de produzir decisões racionais e coerentes para o atendimento mais rápido de demandas da sociedade, atendendo à legitimidade democrática. Vistos assim, proponho-me a estabelecer uma comparação: se o pai é a “montanha que mantém longe o vento em tempos de tempestade” e o filho é a “fortaleza de muralha de cobre”, indiscute-se que, juntos, abrirão um canal de comunicação com a sociedade e marcarão posição nítida e firme, restaurando a dignidade das pessoas mais desfavorecidas. Ressalte-se que, a conduta dos dois denota um enfrentamento com as dificuldades que desafiam a Justiça, conclamando os seus pares a uma luta sem tréguas contra todas as formas de práticas ilícitas, enquanto nós já somos prestigiados pela atuação dos dois notáveis. (*) É PÓS-GRADUADA EM CIÊNCIAS JURÍDICO-CRIMINAIS EM PORTUGAL

Mais matérias
desta edição