app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Opinião

Jaragu� dos pequeninos

| BENEDITO RAMOS * Talvez Jaraguá, mais que qualquer outro, seja o bairro dos contrastes. Um centro financeiro que reúne os maiores bancos do País, escritórios de quase todas as usinas de açúcar, incluindo sua cooperativa assim como seu sindicato, mais d

Por | Edição do dia 15/12/2005 - Matéria atualizada em 15/12/2005 às 00h00

| BENEDITO RAMOS * Talvez Jaraguá, mais que qualquer outro, seja o bairro dos contrastes. Um centro financeiro que reúne os maiores bancos do País, escritórios de quase todas as usinas de açúcar, incluindo sua cooperativa assim como seu sindicato, mais duas faculdades particulares, escritórios de advocacia e de exportação, e um palácio que representa a mão da iniciativa privada no desenvolvimento do próprio Estado de Alagoas. No entanto, o bairro portuário possui uma favela a qual decidimos chamá-la, gentilmente, de Vila dos Pescadores. Os superlativos de Jaraguá são tantos que, se não bastasse as imensas áreas de armazéns ou trapiches, o estacionamento criado, há cerca de cinco anos acabou por espremer inda mais aquela população fixa. O espaço é tão grande que os veículos só ocupam menos de um terço de toda a área o ano inteiro. Bairro esquecido, durante anos, entregue ao abandono, renasceu com a revitalização e o enfoque turístico. Hoje, o Centro de Convenções, terminado recentemente, é outro motivo de orgulho para Maceió. Mas e o outro lado de Jaraguá, aquele que se esconde além da movimentada avenida Cícero Toledo e escuta de longe o som das festas no estacionamento, ou sente o cheiro da comida nos seus bares e restaurantes? O Jaraguá dos pequeninos, adultos ou crianças, simplesmente, pequeninos diante dessa imensidão física, política e, sobretudo, financeira, num apartheid de uma sociedade injusta e cruel. Jaraguá não é diferente de outros bairros periféricos, com sua população infantil além da conta. Suas crianças fazem das escadarias do Palácio do Comércio seu parque de diversão, até porque já não há espaço, no seu espaço, para um campo de futebol, uma gangorra ou um escorregador. Sem outras atividades, alguns pequeninos, perambulam pelos estacionamentos ou na porta de um banco, buscando um trocado. Este ano, mais uma vez, a Associação Comercial de Maceió está realizando a abertura do Natal com crianças. Crianças do Coro dos Pequenos Cantores de Jaraguá e outras, de escolas públicas, de bairros mais distantes. O evento acontece esta semana de 12 a 16, ao lado do Palácio do Comércio. Um momento para reunir essa população das duas Jaraguás em uma única, com alegria e esperança. Precisamos mostrar a essas crianças que é possível vencer as dificuldades e que há possibilidade de mudar o futuro. Quando humanizamos nossas ações e semeamos o amor e a paz, com certeza podemos colher o bem. (*) É artista plástico e crítico de arte.

Mais matérias
desta edição