app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Opinião

Levante-se, vem para o meio!

| Dom José Carlos Melo, CM * A Igreja realiza desde 1964 a Campanha da Fraternidade, que tem o objetivo de incentivar o trabalho de evangelização organizado pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Sendo o período quaresmal escolhido para

Por | Edição do dia 19/02/2006 - Matéria atualizada em 19/02/2006 às 00h00

| Dom José Carlos Melo, CM * A Igreja realiza desde 1964 a Campanha da Fraternidade, que tem o objetivo de incentivar o trabalho de evangelização organizado pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil). Sendo o período quaresmal escolhido para a realização da Campanha da Fraternidade, ela visa celebrar a Quaresma de forma criativa, convidando-nos à conversão diante de uma situação que exige atitudes cristãs coerentes e concretas. Este ano de 2006 a Campanha da Fraternidade coloca as pessoas com deficiências no centro da atenção e da reflexão e questiona a sociedade e a própria Igreja sobre atitudes e relacionamentos com estas pessoas refletindo o Tema: Fraternidade e Pessoas Com Deficiência, com o lema: Levanta-te, Vem Para o Meio!. Somos convidados a conhecer melhor a realidade das pessoas com deficiência e refletir sobre sua situação, à luz da Palavra de Deus e da ética cristã, para suscitar maior fraternidade e solidariedade em relação às pessoas com deficiência, promovendo sua dignidade e seus direitos. Mais uma vez, a Campanha da Fraternidade é realizada com a participação de outras Igrejas, numa linha ecumênica. Este ano a Campanha da Fraternidade tem por objetivo: 1- Apresentar a realidade das pessoas com deficiências e as iniciativas para a promoção de sua dignidade; 2- Denunciar profeticamente ideologias e contravalores que marcam a sociedade no que diz respeito às pessoas com deficiência; 3- Mostrar os valores evangélicos que devem orientar o relacionamento com as pessoas com deficiência; 4- Assegurar os direitos individuais e sociais das pessoas com deficiência e de suas famílias; superar toda forma de preconceito e sensibilizar a consciência pessoal e social sobre a questão da deficiência; 5- Promover a autonomia das pessoas com deficiência, fortalecer suas organizações e movimentos; criar mecanismos para sua participação efetiva, como protagonistas de sua história, na família, na Igreja e na sociedade; 6- Suscitar e apoiar iniciativas individuais e comunitárias, bem como políticas públicas para inclusão, valorização e proteção das pessoas com deficiências e seus familiares no ambiente escolar, no mundo do trabalho, na vida eclesial e nas atividades culturais, esportivas, de lazer e convívio social. A campanha, para alcançar seus objetivos, deseja propor, como ação concreta, antes de tudo, o apoio de uma cultura de paz, onde o cristão seja protagonista desta ação. Sejamos solidários para melhor construirmos uma sociedade fraterna, sem discriminar as pessoas deficientes. (*) É arcebispo metropolitano de Maceió.

Mais matérias
desta edição