app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5732
Opinião

Ponto positivo - Editorial

Anteontem, a polícia apresentou quatro acusados de formar uma quadrilha responsável por assaltos e seqüestros no interior do Estado. Um resultado positivo, num conjunto de revezes que ainda marcam a opinião pública com o amargo sabor da ausência de respos

Por | Edição do dia 22/02/2006 - Matéria atualizada em 22/02/2006 às 00h00

Anteontem, a polícia apresentou quatro acusados de formar uma quadrilha responsável por assaltos e seqüestros no interior do Estado. Um resultado positivo, num conjunto de revezes que ainda marcam a opinião pública com o amargo sabor da ausência de respostas eficientes para a insegurança pública que aflige todas as camadas da população alagoana. Evidentemente, a crise continua, pois não será a prisão de um quarteto de bandidos que vai virar o jogo – continuamos perdendo para os times dos facínoras. Mas, fazer um gol, depois outro e mais outros, certamente configura uma esperança de virada. O importante é alcançarmos resultados positivos subseqüentes, como parte de uma estratégia real de combate ao banditismo. Ao mesmo tempo em que registramos este ponto positivo, causa preocupação a declaração de integrantes da força tarefa do judiciário sobre o surgimento de pressões contra os magistrados engajados neste esforço. Não será um engano do autor das denúncias? Ou existirão “forças ocultas” interessadas em obstaculizar as investigações? Pelo sim, pelo não, cabe à imprensa manter-se na linha de frente, acompanhando todos os acontecimentos – pois a cobrança da opinião pública continua sendo o grande incentivo àqueles realmente comprometidos com o enfrentamento à criminalidade e ao enfrentamento à impunidade. Asseverar a unidade de ação e pensamento entre os segmentos da polícia e da Justiça é uma questão central para o sucesso das forças da lei nesta guerra. Assim, os avanços das iniciativas policiais devem ser acompanhados pela retaguarda jurídica. Assim, por exemplo, ao ponto positivo colhido na segunda-feira não pode ser subtraído nenhum retrocesso causado por pressões de quaisquer procedências. As quadrilhas têm de ser desbaratadas, num processo sem interrupções.

Mais matérias
desta edição