app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Opinião

Solidariedade

| Gilberto de Macedo * É o apoio mútuo, presença espontânea, ajuda que chega com naturalidade, nos momentos da necessidade. Ato de coração e de consciência. Atitude que caracteriza o ser humano, e que permitiu a constituição da sociedade. É, pois, uma c

Por | Edição do dia 09/03/2006 - Matéria atualizada em 09/03/2006 às 00h00

| Gilberto de Macedo * É o apoio mútuo, presença espontânea, ajuda que chega com naturalidade, nos momentos da necessidade. Ato de coração e de consciência. Atitude que caracteriza o ser humano, e que permitiu a constituição da sociedade. É, pois, uma contingência natural da condição humana. Diz da participação dos indivíduos no funcionamento da vida social. Assim se estabelece a socialização, pela convergência das ações a serviço dos interesses comuns voltados para o bem-estar de todos, no encontro dos propósitos pessoais. Socialização que se completa com a conscientização do povo, na qual os interesses gerais prevalecem sobre os particulares. Desse modo, forma-se a mentalidade que vai fornecer o modelo de comportamento numa determinada comunidade, estabelecida no padrão de cultura da sociedade. Na solidariedade, está o símbolo da democracia, uma sociedade de todos e para todos: nem estranhos, nem impostores, nem senhores, nem escravos. Cidadãos, todos. É a convivência com dignidade e respeito humano. Humanização e socialização completando-se, inseparavelmente. Dessa maneira, sem solidariedade não há ordem espontânea, nem atenta às normas ético-sociais. Mas acontece a desintegração política com a implantação da tirania, que estabelece a dissocialização em todos os níveis, de cima a baixo. Com isso é que se originam os estados de tensões interpessoais, de classe social, os conflitos enraizados, inclusive nas instituições privadas. A solidariedade diz mesmo do conceito de sociedade, exigência de sua natureza. Imperativo dos níveis de organização em todos os setores, numa sociedade sem lacunas e ilhotas estranhas sem diferenças insuperáveis. Portanto a falta de solidariedade diz mesmo da mentalidade dissociativa que se propaga, inadvertidamente, nas escolas, nos locais de trabalhos por intermédio dos meios de comunicação de massa. Passa a ser um hábito de vida, suas conseqüências nocivas, deixando, muitas vezes, de ser percebida pela grande maioria da população. É a desatenção dos valores, exigindo medidas imediatas dos órgãos educacionais e governamentais em todos os poderes. É o imperativo do estabelecimento de uma mentalidade socializada. Diz da implantação da solidariedade em todas as regiões, no plano nacional e internacional, respectivamente. Ou, ter-se-á a sociedade constituída de feudos humanos. Individualização em vez de socialização. (*) É médico.

Mais matérias
desta edição