app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Opinião

Vende-se uma cidade

| Aloísio Alves * Aquela que poderia ser a nossa Pipa, a nossa Praia do Forte, Porto de Galinhas ou outras tantas boas comparações que se possam fazer. Aquela que em um passado não muito distante, foi o recanto de encontro de alagoanos, nativos, veranist

Por | Edição do dia 02/04/2006 - Matéria atualizada em 02/04/2006 às 00h00

| Aloísio Alves * Aquela que poderia ser a nossa Pipa, a nossa Praia do Forte, Porto de Galinhas ou outras tantas boas comparações que se possam fazer. Aquela que em um passado não muito distante, foi o recanto de encontro de alagoanos, nativos, veranistas e visitantes embevecidos pela sua beleza. Aquele lugar que inspirou poetas e intelectuais, onde o mar tinha sua magia própria, onde os pés podiam pisar a areia densa em longas caminhadas, iluminadas pela luz do sol brilhante e da lua, testemunha de muitas juras de amor. Paripueira está agonizando. Entregue ao desprezo e total abandono, sua comunidade vive os piores momentos de desesperança, sem quaisquer perspectivas de emprego e renda, ruas e sua pequena avenida central transformadas em lixões, algo inimaginável que poderia acontecer em pleno século 21. Um cruel contraste para uma região literalmente vocacionada para o turismo, mas que não dispõe de pousadas ou hotéis, nenhuma infra-estrutura que justifique a presença do turista. Escola, atendimento à saúde e segurança, fundamentos básicos para a sobrevivência de uma sociedade estão comprometidos com a ineficiência, fazendo com que Paripueira vá perdendo lentamente o seu encanto. A violência e o consumo de drogas começam a despontar de forma assustadora, com jovens e adolescentes praticando a marginalidade à luz do dia, deixando seus moradores em pânico e proprietários de casas de veraneio sem alternativa, senão colocar à venda seus imóveis. Infelizmente, Paripueira começou a fazer parte dos noticiários policiais com arrombamentos de residências, crimes de morte com muita freqüência. Mas não se pode deixar que isso chegue a proporções insustentáveis, ao ponto das pessoas começarem a colocar a cidade à venda por não suportarem mais tamanho descaso para com uma região que é um dos maiores patrimônios turísticos do Estado. Justo quando Alagoas entra numa nova era, definitivamente colocada na rota do desenvolvimento, agora com seu Centro de Convenções, Aeroporto Internacional, perspectiva de grandes investimentos na área de hotelaria e turismo residencial. Recentemente fomos anfitriões de um evento internacional, o NordesteInvest, abrindo possibilidades reais de prospecção de capital europeu para negócios que podem expressivamente mudar o rumo do litoral norte, de Jacarecica e Maragogi, onde estão localizadas as praias mais bonitas do Brasil. Paripueira está inserida nesse contexto, sendo um dos maiores patrimônios entre as cidades balneárias. (*) É publicitário.

Mais matérias
desta edição