app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5729
Opinião

A ordem � paz

| Humberto Martins * Os incidentes que ocorrem com tanta freqüência, em várias cidades, inclusive Maceió, envolvendo ambulantes - denominados marreteiros em São Paulo e outras áreas do Sudeste - são conseqüências das dificuldades de trabalho legalizado,

Por | Edição do dia 11/04/2006 - Matéria atualizada em 11/04/2006 às 00h00

| Humberto Martins * Os incidentes que ocorrem com tanta freqüência, em várias cidades, inclusive Maceió, envolvendo ambulantes - denominados marreteiros em São Paulo e outras áreas do Sudeste - são conseqüências das dificuldades de trabalho legalizado, em face do crescimento insuficiente da economia. Ocorrem nas cidades com a mesma freqüência da invasão de propriedades na área rural. No interior, além das dificuldades de emprego, existe o problema da distribuição de terras, fruto da concentração fundiária que acontece no Brasil desde os primórdios do País como nação independente. A delinqüência, a prostituição, o tráfico de drogas e demais formas de violência e insegurança são outros fenômenos que têm nas suas raízes questões econômicas que se arrastam através das décadas, sem que as lideranças públicas e privadas consigam uma maneira de reduzir-lhes a gravidade. Pode-se afirmar que esse quadro - é preciso que se diga - não é exclusividade brasileira, pois se apresenta igualmente na quase totalidade dos países chamados em desenvolvimento, ou subdesenvolvidos. Mas, na verdade, entre nós, apresenta muita gravidade, exigindo de todos os segmentos responsáveis - Executivo, Legislativo, Judiciário, Ministério Público, lideranças da iniciativa privada, educadores, comunicadores etc. - o máximo de empenho. É difícil disfarçar as três vertentes básicas por meio das quais será possível devolver à sociedade brasileira a segurança de que ela necessita para consolidar seus avanços institucionais e econômicos. São elas o aperfeiçoamento da educação, o crescimento econômico, o aumento e sofisticação dos organismos policiais e penitenciários, além de uma maior desenvoltura do Judiciário. Um sistema penitenciário eficiente recupera o infrator, enquanto uma estrutura deficiente agrava-lhe os problemas, praticamente inutilizando-o para o convívio social. É preciso igualmente conhecer as experiências das nações que conseguiram progressos consideráveis no trato das questões de insegurança e violência. Pode-se dizer que, seguindo por esses caminhos, será possível restaurar a paz e a tranqüilidade que são imprescindíveis ao bem-estar dos brasileiros. A ordem é paz. (*) É desembargador do TJ/AL.

Mais matérias
desta edição