app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Opinião

Como as pessoas pensam

| Dom Fernando Iório * Jesus sempre desejou que o ser humano aprendesse a pensar. Quem sabe pensar jamais será manipulado. Bem sabia o Mestre que tudo quanto fazemos na vida tem por base, simplesmente, a fé. A maior parte de nossas decisões é feita, ini

Por | Edição do dia 11/04/2006 - Matéria atualizada em 11/04/2006 às 00h00

| Dom Fernando Iório * Jesus sempre desejou que o ser humano aprendesse a pensar. Quem sabe pensar jamais será manipulado. Bem sabia o Mestre que tudo quanto fazemos na vida tem por base, simplesmente, a fé. A maior parte de nossas decisões é feita, inicialmente, em razão do que sentimos ou cremos. Somente depois justificamos nossas escolhas, procurando racionalizá-las. Não foi debalde ter Jesus usado parábolas para nos obrigar a lidar com nossas crenças e não com nossos raciocínios lógicos. O Mestre era confiante sem ser arrogante, porque, sendo simples, mostrou, na simplicidade, a verdadeira sabedoria. Acreditava em valores absolutos, sem ser rígido, revelando Sua identidade, sem julgar os outros. Usando parábolas, símiles tão conhecidos do povo, ia, facilmente, ensinando o povo a pensar, usando uma metodologia desconhecida pelos doutores da lei. Jesus abordava as pessoas com técnicas psicológicas que, somente agora, estamos começando a entender. Jamais se mostrou superior, proferindo palestras eruditas, de alta sabedoria teológica. Humildemente, revelava belezas transcendentes, por meio de simples histórias. Era, na simplicidade das parábolas, que o povo ia mudando de mentalidade. Falava de um modo que levava o povo a ouvir, porque sabia transmitir o que queria a multidão. Ninguém mais do que Ele foi exímio comunicador, vez que, intuitivamente, compreendia o que está a psicologia nos ensinando hoje: basear nossa vida mais no que acreditamos do que naquilo que sabemos. Era paciente com Seus ouvintes. Suas críticas mais severas foram dirigidas aos professores de religião. Censurava-os Jesus não pelo conhecimento que possuíam, senão pela arrogância com que se apresentavam. Mais do que ninguém, sabia Ele que quanto mais sabemos e aprendemos, o que não sabemos ainda é incomensurável. Estou em que: se desejarmos ser evangelizadores precisamos aprender o que Jesus sabia no tocante à relação entre conhecimento e humildade. Os grandes pensadores sempre foram humildes: assim Sócrates que repetia a máxima do Santuário de Delfos: “Só de uma coisa eu sei é que nada sei”. Sempre compreenderam que a vida está mais ligada à fé do que ao conhecimento. Jesus compreendia a forma de pensar das pessoas. Daí ter sido o grande professor por saber que cada pessoa só pode compreender as coisas, a partir da sua perspectiva pessoal. (*) É bispo de Palmeira dos Índios.

Mais matérias
desta edição