app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Opinião

Interdepend�ncia

| Dom Fernando Iório * Pendência é um lexema que relaciona os verbetes: dependência, independência e interdependência. Como agimos nas pendências da vida? E, de chofre, desponta algo interessante para se pensar, envolvendo, tanto no seu processo interpe

Por | Edição do dia 14/11/2006 - Matéria atualizada em 14/11/2006 às 00h00

| Dom Fernando Iório * Pendência é um lexema que relaciona os verbetes: dependência, independência e interdependência. Como agimos nas pendências da vida? E, de chofre, desponta algo interessante para se pensar, envolvendo, tanto no seu processo interpessoal, senão também nas suas relações de vida social mais ampla, a caminhada do ser humano. Nunca deixam de existir em nossa vida as pendências. Dependemos de tantas coisas que, ao falar do futuro, religiosamente, dizemos: “Se Deus quiser”, “se Deus permitir”. Certamente, não poucas coisas escapam ao nosso controle. Por outro lado, tentamos, ao máximo, controlar as situações, procurando não ser tão dependentes. Apesar de tudo, nossa dependência não deixa de existir. Quando somos tamanhinho ainda ou quando estamos enfermos, nossa dependência se torna mais evidente. Além disso, estabelece-se a dependência do mais forte sobre o mais fraco, mormente quando se evidencia o poder do chefe (quer dizer do falso chefe) sobre os súditos. Tem a fraqueza várias formas: física, moral, psíquica, intelectual, econômica, política, religiosa. Há chefes que se aproveitam do seu poder dominador e da fraqueza dos súditos oprimidos para o cultivo da dependência em proveito próprio ou do suposto amor à instituição, qualquer que seja. Esse fato vem ganhando tamanha proporção que vem dando razões para uma “teoria da dependência”. Essa teoria evidencia, principalmente, as dependências políticas de países que são colonizados e explorados por outros e de populações inteiras, mantidas pobres e longe da educação. Como se percebe, é a dependência um grande desafio tanto para os indivíduos como para toda uma população ou nação. A saída é tentar a independência. Mostra a psicologia o processo pelo qual chegamos a ser independentes. Quando os processos de independência não são facilitados, ou persistir a dominação, resta ao ser humano lutar, sem violência, para se sentir independente, livre para atingir o que deseja. Será a independência aquela verdadeira solução para a dependência? Sem dúvida, para descobrir e superar a dependência, é, de bom alvitre, pensar na independência. Entretanto, não é a independência ainda a solução. O ideal seria mesmo a interdependência, mostrando, claramente, que dependemos uns dos outros, como indivíduos, grupos, comunidades, povos e nações. Desse reconhecimento nascem a mútua ajuda e o respeito no sentido de haver paz em nossos relacionamentos. (*) É bispo de Palmeira dos Índios.

Mais matérias
desta edição