app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Opinião

Comentando n�meros

| Vinícius Maia Nobre * Os números não mentem, diz a assertiva, mas me reservo a comentar muitos deles certo de que não vou mentir. Tenho conhecimento de muitos dados estatísticos sobre o nosso Estado, ora retirados de entidades e órgãos oficiais ora de

Por | Edição do dia 14/12/2006 - Matéria atualizada em 14/12/2006 às 00h00

| Vinícius Maia Nobre * Os números não mentem, diz a assertiva, mas me reservo a comentar muitos deles certo de que não vou mentir. Tenho conhecimento de muitos dados estatísticos sobre o nosso Estado, ora retirados de entidades e órgãos oficiais ora de arquivos públicos de não menos credibilidade. Tanto o Anuário Exame 2006/07 quanto um documento distribuído no recente seminário levado a efeito pela equipe de transição do futuro governo estadual, dá-nos a nítida impressão que estamos na última colocação entre os demais federados no tocante a vários índices econômico-sociais. É de estarrecer quando observamos como alguns índices magoam nossa estima: analfabetismo, pobreza, e outros, como saneamento básico. Ora, já na década de 80 tínhamos dispositivo final dos esgotos de Maceió (emissário submarino) e que está mais do que ocioso a falta de rede coletora. Recentemente o IMA chamou atenção para a não balneabilidade das praias de Pajuçara , Ponta Verde e Jatiúca. Quase nada desde sua implantação foi acrescida à rede construída na Bacia da Pajuçara. Obras nesse setor incomodam e não “faturam” eleitoralmente! E os esgotos estão sendo jogados naquelas praias para os banhistas incautos e desavisados da periferia de Maceió! Ninguém falou na disposição do lixo e parecem que não sabem que o chorume do atual lixão está presente na praia de Cruz das Almas. Não concordo quando se colocam números relativos e, para alguns outros o são em valor absoluto, a exemplo da malha viária pavimentada, onde Alagoas está em 20º lugar, mas esquecem que nosso território tem pouco mais de 27 mil km², ficando dessa forma com o 4º lugar, atrás tão somente do Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná. Todos os governos muito fizeram neste segmento da infra-estrutura, a começar pelo pioneirismo de Arnon na década de 50 e em sua maioria, a partir de Lamenha, com a manutenção e conservação da rede pavimentada. Como nossos órgãos de estatística não possuem dados completos, passo a citar, por governo, o que foi realizado até o momento em pavimentação asfáltica: Silvestre, 2 km, Arnon, 128, Muniz, 95, Major, 80, Lamenha, 166, Afrânio, 140, Divaldo (1), 365, Guilherme, 278, Divaldo (2), 395, Bulhões, 100, Divaldo (3), 25 e finalmente Ronaldo (1 e 2), aí se incluindo o trecho Viçosa-Mar Vermelho, 115 km. (*) É engenheiro ([email protected]).

Mais matérias
desta edição