app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5647
Opinião

O Mundo Ainda Tem Jeito .

.

Por Celena Leão - bacharel em Direito e palestrante | Edição do dia 29/12/2023 - Matéria atualizada em 29/12/2023 às 04h00

Tive o privilégio de estar no lugar certo e na hora certa. A noite me proporcionou assistir a apresentação do TCC de uma amiga da vida acadêmica, treze anos após a formatura da nossa turma em Direito. A chave virou e essa amiga decidiu concluir seu curso superior.

Para nossa felicidade e engrandecimento, enquanto seres humanos, a primeira apresentação dos formandos foi de um rapaz portador de espectro autista. Chegando ao recinto, não entendia bem o motivo de um graduando estar tão feliz e convidado a todos para assistir a sua apresentação. Normalmente, nesses momentos desejamos que tenha o mínimo possível de pessoas a nos assistir. Foi quando questionei: que coisa! É o primeiro aluno que vejo querer que a sala esteja lotada. Uma das funcionárias da Instituição me respondeu: “ele é autista e a segunda apresentação é a da mãe dele”! Logo fiquei surpresa e mexida.

Minha cabeça dava voltas… A sala estava abarrotada de funcionários daquela faculdade. Nunca duvidei que o amor faz milagres! Aquele rapaz com vinte e três anos e com o diagnóstico de autismo fechado tardiamente, apenas há um ano, estava se tornando bacharel em Direito, com louvor, nota máxima 10 em sua apresentação sobre mediação e conciliação de conflitos.

Logo em seguida, sua linda mãe, começa a apresentar sua tese de defesa aos prantos, fazendo alguns se emocionarem também. O trabalho dela foi sobre o direito do acompanhante do aluno com necessidades especiais (esse aluno teria sido parido do seu ventre). Para os que tiverem interesse: Lei Berenice Piana, criada em 2012.

A fala da coordenadora do curso de Direito e orientadora do referido aluno foi fantástica: “Temos que começar a repensar o acolhimento a alunos com autismo, o número de casos vem sendo crescente e daqui a alguns anos, teremos turmas com inúmeros alunos com necessidades especiais”. Obrigada, Senhor! Obrigada, Universo! Conclusão, noite de formatura: o mundo ainda tem jeito!

Mais matérias
desta edição