app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Opinião

Conservação .

.

Por Editorial | Edição do dia 24/01/2024 - Matéria atualizada em 24/01/2024 às 04h00

Levantamento feito pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) mostra que o desmatamento em áreas protegidas da Amazônia caiu quase quatro vezes (73%) em 2023, na comparação com 2022. Segundo a entidade, em 2023 a devastação em terras indígenas e unidades de conservação localizadas na região atingiu 386 km². Trata-se do menor índice desde 2013, quando foram desmatados 178 km².

Em termos gerais, o Brasil avançou no combate ao desmatamento no ano passado, graças a ações como o aumento de 86% nas ações de fiscalização ambiental, elevação de 49,5% do orçamento autorizado para fiscalização ambiental, aprovação da lei que criou o Sistema Nacional de Mudanças Climáticas (Sinam), lançamento do Plano Nacional de Adaptação às Mudanças Climáticas e Criação do Conselho Nacional da Emergência Climática.

A redução expressiva da derrubada de árvores em áreas protegidas é positiva, pois são territórios que precisam ter prioridade nas ações de combate à degradação ambiental.

É preciso ter máxima agilidade e efetividade no aumento das fiscalizações e das punições aos desmatadores ilegais, priorizando as áreas sob maior risco de devastação.

Mais matérias
desta edição