app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5712
Polícia

Viol�ncia explode na periferia e leva p�nico � popula��o

RÓDIO NOGUEIRA A violência explodiu em Alagoas no mês de agosto. Foram registrados no período três duplos homicídios e dezenas de assaltos a mercadinhos, farmácias, postos de gasolina entre outros estabelecimentos comerciais. O cidadão foi molestado e a

Por | Edição do dia 01/09/2002 - Matéria atualizada em 01/09/2002 às 00h00

RÓDIO NOGUEIRA A violência explodiu em Alagoas no mês de agosto. Foram registrados no período três duplos homicídios e dezenas de assaltos a mercadinhos, farmácias, postos de gasolina entre outros estabelecimentos comerciais. O cidadão foi molestado e assaltado nas praças, pontos de ônibus e dentro de sua residência. Alguns segmentos das polícias Civil e Militar priorizaram o atendimento para parcela da população. Viaturas e policiais fortemente armados foram acionados para atender os “barões de poder nos bairros chiques de Maceió”. Mas o morador da Vila Brejal e adjacências, por exemplo, gastou todos os créditos no telefone público pedindo ajuda a mesma polícia que, quando chegava ao local do atendimento, era sempre com muito atraso. O crime já estava consumado. O defunto estava estirado no chão para ser levado para o Instituto Médico Legal Estácio de Lima. O mês de agosto registra que foi na periferia que o crime deu as cartas. O Conjunto Clima Bom, no Tabuleiro do Martins, começa a entrar para a história como um do mais violentos da cidade. Naquele esquecido e abandonado bairro, a miséria se mistura com o sangue de jovens, vítimas do desemprego, da discriminação social e da falta de projetos políticos. Tem sido muito o desfile de urnas funerárias pelas ruas acompanhadas pelo choro de familiares. Alguns crimes foram registrados por homens encapuzados também conhecidos por “justiceiros”. Por conta da violência imposta por galeras rivais muitas pessoas ali residentes estão colocando placa de venda em seus imóveis. Durante a noite quase ninguém se arrisca a ficar sentado em sua porta. O toque de recolher é uma realidade que a policia diz ser invencionice ou fantasmas criados por moradores do logradouro. Pedágio A cobrança de pedágio também é, para a polícia, outra informação mentirosa. No entanto, um comando de elite da Polícia Militar de Alagoas com a presença do seu comandante, coronel Ronaldo dos  Santos, pôde constatar in loco que no Benedito Bentes a cobrança de  pedágio é uma realidade. No dia da  visita alguns elementos ligados ao talvez quinto escalão do crime organizado ali foram presos como perigosos bandidos. Mas logo depois liberados. A sociedade alagoana está sufocada com tantos crimes, assaltos e estupros que vêm ocorrendo à luz do dia em Alagoas. Na periferia de Maceió pelo menos 15 assaltos a mercadinhos foram registrados por bandidos. Policiais civis e militares durante o mês de agosto prenderam alguns acusados pelos assaltos, enquanto outros foram praticados à luz do dia. O sistema de segurança diz que se está na rua é para combater a onda de homicídios. Mas a realidade no Instituto Médico Legal Estácio de Lima revela outra face. Quase todo o final de semana uma média de 6 pessoas, vítimas de assassinatos, dão entrada para exames de necropsias.

Mais matérias
desta edição