app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Polícia

IML registra 58 corpos executados a tiros em agosto

RÓDIO NOGUEIRA O livro de registro de óbitos do Instituto Médico Legal (IML) Estácio de Lima, em Maceió, revela que em agosto de 2002 o órgão recebeu 58 corpos vítimas de assassinatos para exames de necropsia. A maioria procedente do interior do Estado e

Por | Edição do dia 01/09/2002 - Matéria atualizada em 01/09/2002 às 00h00

RÓDIO NOGUEIRA O livro de registro de óbitos do Instituto Médico Legal (IML) Estácio de Lima, em Maceió, revela que em agosto de 2002 o órgão recebeu 58 corpos vítimas de assassinatos para exames de necropsia. A maioria procedente do interior do Estado e assassinada a tiros de pistola, revólver e espingarda calibre 12. Alguns, executados a golpes de faca, facão e foice. Em agosto de 2001, o IML registrou 62 homicídios, alguns praticados com requintes de crueldade. A faixa etária das vítimas varia de 14 a 55 anos. Alguns dos homicídios têm relação direta com vingança, sobretudo os ocorridos no interior do Estado. Para a Polícia Civil, os crimes cometidos na zona rural muitas vezes ocorrem no fim de semana e por motivos banais. Na estatística, as cidades da zona da mata (União dos Palmares, Murici, Branquinha, Pilar, Atalaia, São José da Laje e Santana do Mundaú) lideram os homicídios. Esta região agrega diariamente centenas de trabalhadores rurais que trabalham armados nas roças, o que facilita a ocorrência de crimes. Em Joaquim Gomes, as terras estão ocupadas, basicamente, pelos plantios de cana e trabalhadores circulam livremente com facões e facas, instrumentos de trabalho que a polícia não pode apreender. União dos Palmares é outra cidade onde se registram muitos crimes no campo e na cidade, a maioria causada por bebedeiras de fim de semana. Visando, efetivamente, reduzir ao máximo a onda de violência em Alagoas o Departamento de Polícia do Interior (Depin), determina que os delegados municipais e regionais realizem rondas nas feiras livres, bares e pontos de prostituição. O resultado do trabalho é considerado bom em relação à apreensão de armas. Em Maceió, a Secretaria de Defesa Social também implementa meios de “virar o jogo” colocando a polícia na rua 24 horas. Os grupos especiais Comando de Operações Táticas Especiais (Coti), Operação Litorânea (Oplit) e Tático Integrado de Operações de Resgate (Tigre) têm sido acionados pelos seus respectivos coordenadores para combater a violência.

Mais matérias
desta edição