app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5749
Polícia

Diretores do DPC e Depin s�o acusados de agredir grevistas

Integrantes do comando de greve da Polícia Civil, que realizaram ato público durante a manhã de ontem, defronte do prédio-sede da Secretaria de Defesa Social, denunciaram que foram agredidos verbalmente pelo diretor do Departamento de Polícia Científica

Por | Edição do dia 06/09/2002 - Matéria atualizada em 06/09/2002 às 00h00

Integrantes do comando de greve da Polícia Civil, que realizaram ato público durante a manhã de ontem, defronte do prédio-sede da Secretaria de Defesa Social, denunciaram que foram agredidos verbalmente pelo diretor do Departamento de Polícia Científica (DPC), Roberto Lisboa, e pelo diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin), Carlos Alberto Fernandes Reis. Segundo a denúncia, eles trataram os grevistas com palavrões e chegaram a ameaçar pegar uma arma dentro do veículo, onde estavam. O objetivo da mobilização defronte da SDS era pedir adesão dos policiais que trabalham nos setores administrativos daquele órgão. O ato começou às 5h da manhã com café oferecido aos grevistas que mais um vez demonstram sua revolta com o fato de o governador Ronaldo Lessa não atender às reivindicações da classe em greve há uma semana, apesar do interesse em negociar através de diálogos com as autoridades. Recém-eleito presidente do Sindicato dos Policiais Civis, o policial civil Carlos Jorge voltou a alertar que a categoria pode, a partir de qualquer momento, radicalizar a situação com medidas pesadas. “O senhor secretário está sendo também intransigente com os policiais. Ao tomar conhecimento do ato público, colocou policiais militares em todos os pontos da secretaria para agir contra os grevistas. Ninguém quer briga com policiais militares. Nossa meta é efetivamente brigar sim, por nossas conquistas sem violência”, ressalta Carlos Jorge. Durante o ato público soldados do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar de Alagoas (Bope) se posicionaram no 4º Batalhão de Polícia Militar, que fica defronte da Secretaria de Defesa Social, para agir caso solicitados.

Mais matérias
desta edição