app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5756
Polícia

“Sorriso” � preso ap�s confronto com a pol�cia

Jaelson Holanda da Silva, 18, conhecido por “Sorriso”, preso na manhã do último dia 26, após receber a polícia à bala no Clima Bom, é acusado de ser o responsável pelo estupro e morte da estudante Rosimeire Ferreira de Lima, 15. Com “Sorriso”, foram preso

Por | Edição do dia 08/09/2002 - Matéria atualizada em 08/09/2002 às 00h00

Jaelson Holanda da Silva, 18, conhecido por “Sorriso”, preso na manhã do último dia 26, após receber a polícia à bala no Clima Bom, é acusado de ser o responsável pelo estupro e morte da estudante Rosimeire Ferreira de Lima, 15. Com “Sorriso”, foram presos Ronaldo Caetano da Silva, 18, e o menor DBN,15, encaminhado para o Centro de Ressocialização Masculino (CRM). Jaelson e Ronaldo estão em celas de segurança máxima no São Leonardo (onde ficam os acusados de estupro). Os três elementos negam o crime, mas as evidências os incriminam. “Sorriso”, segundo a Polícia Civil, apesar de ser jovem, detém fama de justiceiro e é autor de pelo menos cinco assassinatos e cerca de 30 assaltos à mão armada. É apontado como inimigo número um do traficante conhecido por “Irmão”, de quem chegou a ser sócio num ponto-de-venda de drogas no Conjunto Clima Bom. Briga Uma briga acabou com a sociedade e deu início a vários homicídios. “Irmão”, que continua solto, jura que os dias de “Sorriso” estão contados, mesmo na prisão. Uma carta deixada na porta da casa de “Sorriso” promete que ele não chegará ao final do ano. Na madrugada em que ele invadiu a residência da estudante Rosimeire Ferreira de Lima, o vizinho Daniel Brás Severino tentou evitar o estupro e acabou sendo baleado. Após a prisão do elemento, a polícia realizou uma acareação entre acusados e vítimas. “Sorriso”, foi reconhecido como autor do estupro seguido de morte pelo vizinho de Rosimeire e pelas domésticas Zuleide de Souza e Genilda Rodrigues Diniz. A polícia não confirma, mas existe a denúncia de que “Sorriso” teria sido estuprado dentro do presídio por mais de cinco detentos. Ele também é acusado de vender drogas e armas para as “galeras” que aterrorizam o bairro do Tabuleiro do Martins.

Mais matérias
desta edição