app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5714
Polícia

Irm�os Cavalcante t�m suas penas reduzidas

A Justiça diminuiu as penas dos irmãos Cavalcante – com exceção do ex-tenente Ademar - , que juntos foram condenados a 70 anos de prisão por integrarem a gangue fardada. A decisão foi da Câmara Criminal do TJ, que reduziu a pena de Manoel Cavalcante de 2

Por | Edição do dia 22/02/2002 - Matéria atualizada em 22/02/2002 às 00h00

A Justiça diminuiu as penas dos irmãos Cavalcante – com exceção do ex-tenente Ademar - , que juntos foram condenados a 70 anos de prisão por integrarem a gangue fardada. A decisão foi da Câmara Criminal do TJ, que reduziu a pena de Manoel Cavalcante de 26 para 20 anos, e de 22 para 16 anos de Marcos e Adelmo. Também foi beneficiado com a redução da pena o ex-sargento Daniel Sobrinho, também envolvido com a quadrilha que receptava e adulterava carros roubados. Com o julgamento dos recursos que envolvem a gangue fardada, o TJ irá expedir mandado de prisão contra o ex-major Adelmo, que foi libertado em dezembro junto com o ex-tenente Ademar por determinação do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que considerou haver excesso de prazo por parte da Justiça estadual. Segundo o desembargador-relator José Hollanda Ferreira, o mandado de prisão seria expedido ontem mesmo, para que Adelmo cumpra o restante da pena no Presídio Baldomero Cavalcanti, onde se encontram os irmãos Manoel e Marcos, além de Daniel Sobrinho. Mas o advogado Welton Roberto disse, após a sessão da Câmara Criminal, que o seu cliente encontra-se fora do Estado, por recomendação da própria Justiça, segundo comentou. Recursos A Câmara Criminal reformou as penas dos integrantes da gangue fardada, mas decidiu manter as sentenças prolatadas pelo juiz responsável pelo processo, Helder Loureiro. Por unanimidade de votos, os três desembargadores componentes do órgão rejeitaram todas as preliminares da defesa, que pediu a inépcia da denúncia e falta de justa causa, provas ilícitas, cerceamento de defesa e impedimento de realização de provas e contraprovas. O advogado Welton Roberto entrou ainda com um recurso pedindo a anulação da sentença contra os irmãos Cavalcante por falta de fundamentação das questões apresentadas pela defesa. Mesmo com a diminuição das penas, o advogado disse que pretende ingressar com um recurso especial junto ao STJ, para tentar reduzir ainda mais o tempo de prisão dos seus clientes. Os integrantes da gangue fardada estão presos há três anos. Manso Na sessão, o presidente da Câmara Criminal, desembargador Orlando Manso, comentou ter conhecido Cavalcante quando ele era tenente. “Era um Oficial disciplinado e cumpridor dos seus deveres”, disse. No entanto, Manso lembrou que Cavalcante desviou-se de suas funções como militar, chegando a “cobrar dívidas impagáveis com sua fama de truculência”, disse.

Mais matérias
desta edição