app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5713
Polícia

V�ndalos praticam atentado contra sede do Projeto Catarse

O projeto Catarse voltou a ser alvo de atentado na noite do domingo, quando assaltantes e traficantes da Grota do Arroz tentaram invadir a sede para executar internos. Vários tiros foram disparados para o alto e a invasão somente não ocorreu porque vigil

Por | Edição do dia 25/09/2002 - Matéria atualizada em 25/09/2002 às 00h00

O projeto Catarse voltou a ser alvo de atentado na noite do domingo, quando assaltantes e traficantes da Grota do Arroz tentaram invadir a sede para executar internos. Vários tiros foram disparados para o alto e a invasão somente não ocorreu porque vigilantes noturnos, que trabalham naquela localização, não permitiram a tragédia. “Fui acordado mais uma vez pela madrugada e me desloquei até a sede, correndo o risco de ser assassinado por quadrilhas que atuam naquela localização (Cruz das Almas) e que já fizeram sérias ameaças”, afirmou o coordenador do projeto Catarse, radialista Walmar Buarque. “Cerca de vinte bandidos ocuparam a calçada do projeto. Um deles, usando um facão, tentou arrombar a porta principal. Outro fez vários disparos para o alto como forma de mostrar poder. Se o prédio fosse invadido haveria um derramamento de sangue”, alerta Walmar Buarque. Buarque relata que não é a primeira vez que o projeto é alvo de atentado e que fez várias denúncias mas “as providências ficaram na metade. Policiais civis e militares, em casos anteriores, fizeram rondas nas favelas mas depois sumiram. Vou novamente pedir ao secretário de Defesa Social que encontre meios de manter policiais fazendo operações nas favelas. A Grota do Arroz, em Cruz das Almas, é o maior ponto de bandidos que deve ser combatido pelas polícias”, enfatiza Walmar. Ele disse que vários internos do projeto estão marcados para morrer porque resolveram aproveitar a oportunidade de estudar e se recuperar no Projeto. “Esses jovens estão com a vida em jogo e precisam de ajuda”, ressalta o radialista.

Mais matérias
desta edição