app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5757
Polícia

Comando da PM reconhece defici�ncias para oferecer seguran�a aos alunos

O Comando de Policiamento da Capital (CPC), da Polícia Militar (PM), reconhece a deficiência da segurança para os alunos que cursam faculdades no período noturno, em Maceió. Segundo o capitão Ramos, do CPC, não há viaturas, nem homens suficientes para fic

Por | Edição do dia 29/09/2002 - Matéria atualizada em 29/09/2002 às 00h00

O Comando de Policiamento da Capital (CPC), da Polícia Militar (PM), reconhece a deficiência da segurança para os alunos que cursam faculdades no período noturno, em Maceió. Segundo o capitão Ramos, do CPC, não há viaturas, nem homens suficientes para ficar de prontidão próximo aos estabelecimentos de ensino, durante toda a noite. “Não temos condições de colocar uma viatura na porta de cada faculdade. Caso fizéssemos isso, estaríamos descobrindo um santo para cobrir outro, e essa não é nossa filosofia de trabalho”, afirmou o oficial, assegurando que a cada 15 minutos uma guarnição da PM faz ronda nas proximidades da faculdade, para tentar coibir a ação dos bandidos. Segundo o oficial, em todas as portas das faculdades fica um grupo de policiais para coibir a violência. “Nunca deixamos a área desprotegida”, frisou o capitão Ramos, reconhecendo que os militares são insuficientes para tomar conta das proximidades dos estabelecimentos de ensino. Viatura Ele afirmou, ainda, que o número de assaltos ocorridos próximo à Faculdade de Alagoas (FAL), em Jaraguá, diminuiu depois que o CPC deslocou uma viatura para ficar de prontidão no bairro. “Temos ainda duas motos e vários homens para garantir a segurança dos estudantes da FAL e de todos os moradores do bairro”, enfatizou. Com relação ao Centro de Estudos Superiores de Maceió (Cesmac), o militar explicou que existe um batalhão da PM próximo ao prédio-sede da faculdade, o que garante a segurança dos estudantes. O capitão Ramos afirmou, ainda, que o CPC já tomou conhecimento dos constantes assaltos que vêm ocorrendo contra os universitários e assegurou que existem projetos no Quartel Geral para reduzir o número de ataques.

Mais matérias
desta edição