app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5718
Polícia

Acusada de tr�fico afirma ser inocente

A doméstica Maria Quitéria Gomes da Silva, 19, acusada de ser traficante de maconha e responsável pela morte de Genilson Rodrigues Diniz, 17, em janeiro de 2001, devido ao alto consumo de drogas em depoimento prestado ontem ao delegado Nivaldo Aleixo do

Por | Edição do dia 24/10/2002 - Matéria atualizada em 24/10/2002 às 00h00

A doméstica Maria Quitéria Gomes da Silva, 19, acusada de ser traficante de maconha e responsável pela morte de Genilson Rodrigues Diniz, 17, em janeiro de 2001, devido ao alto consumo de drogas em depoimento prestado ontem ao delegado Nivaldo Aleixo do 11º Distrito Policial (Clima Bom), negou a acusação e disse que Genilson morreu devido a uma forte dor que sentiu e não porque era usuário de maconha. “Conheci muito este rapaz. Nunca lhe vendi maconha porque não sou traficante. Assumo a condição de usuária. E tem mais, dona Genilda Rodrigues, mãe de Genilson e autora da denúncia, é uma mentirosa”, garante Maria Quitéria Gomes da Silva. Ela também disse em seu depoimento que jamais fez ameaças à dona Genilda e que também não procede a denúncia de que quer colocar o filho mais novo de dona Genilda no mundo do crime. “Esta senhora, viciada em bebida alcoólica, está criando fato para arruinar a minha vida. Assim que fui informada das denúncias procurei as autoridades policiais para que a situação fosse esclarecida. Espero que esta senhora não mais me coloque em situação difícil”, explica Maria Quitéria. O delegado explicou que vai continuar fazendo investigações e deverá intimar mais pessoas para falar sobre o caso. “Vamos efetivamente saber quem está com a razão”, explica o delegado Nivaldo Aleixo, que apura o caso.

Mais matérias
desta edição