app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5757
Polícia

Grota do Rafael sob o poder das “galeras”

A Grota do Rafael, em Cruz das Almas, conforme levantamento do Serviço Reservado da Polícia Civil tem, atualmente, vários grupos lutando pelo poder do crime. Naquele local, a Roubos e Furtos já prendeu vários bandidos e os mandou para o presídio, fazendo

Por | Edição do dia 01/12/2002 - Matéria atualizada em 01/12/2002 às 00h00

A Grota do Rafael, em Cruz das Almas, conforme levantamento do Serviço Reservado da Polícia Civil tem, atualmente, vários grupos lutando pelo poder do crime. Naquele local, a Roubos e Furtos já prendeu vários bandidos e os mandou para o presídio, fazendo cumprir o seu trabalho constitucional que é garantir a integridade moral e física do cidadão. Este ano, várias “galeras” envolvidas com assaltos e arrombamentos foram tiradas de circulação na Grota do Rafael. No entanto, começam a surgir denúncias de que outras estão se formando para substituir as que foram desarticuladas. Próximo à grota fica a sede do Projeto Catarse de Fomento à Cidadania, que vive sob ameaça constante dos assaltantes e arrombadores. O coordenador do projeto, Walmar Buarque, adverte que por mais que as polícias Civil e Militar adotem medidas as quadrilhas praticam delitos dos mais diversos. “Sei da preocupação de alguns segmentos com a onda de violência em Maceió. Mas é preciso encontrar fórmulas eficazes de, efetivamente, reduzir ao máximo a presença e a ação de gangues que chegam a matar pessoas”, alerta. Celulares furtados O delegado Abelardo Leopoldino, diariamente, assina certidões relacionadas a celulares roubados, furtados, perdidos e extraviados em Maceió. Ele ressalta que durante o Maceió Fest a delegacia registrou um número razoável de casos. Abelardo não vê necessidade de se levar celular para um evento como o Maceió Fest, mas se levar é preciso atenção. “O grande problema relacionado ao celular está ligado à falta de atenção das centenas de proprietários. É comum você encontrar pessoas com celular pendurado no bolso, em cima de veículos, nas arquibancadas do estádio e nos bancos de praças. O esquecimento é um fato natural, mas é preciso cuidado para no futuro não ter problemas. Existem quadrilhas especializadas no roubo de celular. Aliás, já mandamos muitas para a prisão”, conclui o delegado.

Mais matérias
desta edição