app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5750
Polícia

Radiopatrulha invade favela em busca de armas e drogas

Sete pessoas acusadas de tráfico de drogas foram presas com 17 papelotes de maconha, na manhã de ontem, durante invasão de policiais da Radiopatrulha às favelas da Vila Brejal, na Levada, e do “Galpão”, no Vergel do Lago. Também foi apreendida uma fa

Por | Edição do dia 05/12/2002 - Matéria atualizada em 05/12/2002 às 00h00

Sete pessoas acusadas de tráfico de drogas foram presas com 17 papelotes de maconha, na manhã de ontem, durante invasão de policiais da Radiopatrulha às favelas da Vila Brejal, na Levada, e do “Galpão”, no Vergel do Lago. Também foi apreendida uma faca-peixeira. A operação, denominada “Papai Noel”, foi comandada pelo tenente-coronel PM, Marcos Brito. O oficial superior revelou que o propósito da atividade policial é reprimir o tráfico de drogas, o roubo e prender elementos procurados pela Justiça. “Na última terça-feira, quando iniciamos este trabalho, fizemos incursões nas favelas do Morro do “Ary”, no Jacintinho, e no “Lixão”, em Cruz das Almas, efetuando a prisão de quatro suspeitos de tráfico, que foram encaminhados à Delegacia do 9º Distrito”, informou Brito. No trabalho realizado ontem, André Ferreira de Lima, 29, Givanildo Vieira da Silva, 24, Dijael da Silva, 21, Adriano Gomes, 24, Fernando Anterno da Silva, 18, acabaram detidos por porte de maconha na Vila Brejal, bairro da Levada. Outros dois suspeitos foram presos no Vergel do Lago. Todos foram conduzidos à presença do delegado do 3º Distrito, Manoel Wanderley, encarregado da realização de uma triagem e autuação em flagrante por tráfico ou consumo de substância entorpecente. Um total de 17 papelotes de maconha foi apreendido pelos policiais. O tenente-coronel Marcos Brito comandou um contingente de 80 homens da Radiopatrulha, entre eles seis oficiais e vinte viaturas. Foram utilizados armamentos pesados como a carabina Taurus, P.40, recentemente adquirida pela Secretaria de Defesa Social, além de fuzis e metralhadoras. As operações policiais em favelas têm sido recebidas com entusiasmo pelos moradores.

Mais matérias
desta edição