app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Polícia

Opera��o desarticula quadrilha no Sert�o

Arapiraca – Um total de 14 pessoas foram presas, na manhã de ontem, durante duas operações policiais para combater crimes em municípios do Sertão e Litoral Sul de Alagoas. Em Santana do Ipanema, 12 pessoas foram presas sob acusação de tráfico de drogas, c

Por | Edição do dia 07/11/2014 - Matéria atualizada em 07/11/2014 às 00h00

Arapiraca – Um total de 14 pessoas foram presas, na manhã de ontem, durante duas operações policiais para combater crimes em municípios do Sertão e Litoral Sul de Alagoas. Em Santana do Ipanema, 12 pessoas foram presas sob acusação de tráfico de drogas, comércio ilegal de arma de fogo, homicídio, roubo e receptação, em uma ação policial realizada em parceria pelo Ministério Público Estadual e a Polícia Civil. Foram cumpridos 50 mandados de busca e apreensão nos sítios Maniçoba, Bebedouro e Barriguda, zona rural de Santana do Ipanema. Nas residências foram encontradas quantidades de maconha e cocaína, além de sete armas de fogo, várias munições e ainda duas motocicletas com suspeita de roubo, que levaram a prisões em flagrantes dos suspeitos de integrarem uma mesma quadrilha. Entre os presos estão um idoso de 73 anos, Sebastião Márcio dos Santos, e uma mulher, Maria Lúcia dos Santos, 57, que seria mãe de um traficante conhecido como “Nego Cão”, que seria o líder da quadrilha e que conseguiu escapar do cerco policial. Além deles, também foram presos: Jeferson Lima da Silva, 28; Marcelo de Lima Bezerra, 18; Cícero Soares Costa Júnior, 24; Thiago Luiz Mendes, 20; José Wilames Costa da Silva, 21; José Nilson da Silva, 36, apelidado de “Nissinho”; Robério Nascimento Ferreira, 24; Maciel da Silva, conhecido como “Macinho”, 21; Adson Freire, 56 e Alan Alves da Silva, 25. De acordo com o promotor de Santana do Ipanema, Luiz Tenório, a quadrilha vinha aterrorizando moradores de bairros da periferia do município e chegava até mesmo a exibir ostensivamente armas de fogo, ao mesmo tempo eram feitas ameaças a quem desobedecesse o grupo.

Mais matérias
desta edição