app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Polícia

Adolescente confessa abuso sexual

O delegado da cidade de Pariconha, Rodrigo Rocha Cavalcante, ouviu ontem o depoimento do adolescente F.B.S., 13 anos, acusado de violência sexual contra uma criança de apenas 5 anos de idade. Apesar de constatado o crime por meio da confirmação do próprio

Por | Edição do dia 22/05/2015 - Matéria atualizada em 22/05/2015 às 00h00

O delegado da cidade de Pariconha, Rodrigo Rocha Cavalcante, ouviu ontem o depoimento do adolescente F.B.S., 13 anos, acusado de violência sexual contra uma criança de apenas 5 anos de idade. Apesar de constatado o crime por meio da confirmação do próprio acusado e da vítima, a polícia terá de aguardar o resultado de laudo do exame de conjunção carnal feito no garoto e que deve ser emitido nos próximos dias pelo Instituto Médico Legal (IML) de Arapiraca, para encaminhar o caso à Justiça. De acordo com o Conselho Tutelar da localidade, este é o segundo caso de estupro ocorrido no período de uma semana. “O delegado aguarda o resultado do IML, para então solicitar punição do acusado através de medida socioeducativa, conforme determina o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA)”, informou o chefe de operações da delegacia de Pariconha, José Ceciliano, o Zé Lobinho. De acordo com ele, ao tomar conhecimento do caso, ocorrido no sábado, dia 16, orientou a família da vítima a procurar o Conselho Tutelar do município e a realizar exames na criança na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), na cidade de Delmiro Gouveia, ocasião em que ficou constatado que o menino sofreu danos físicos no ânus. Ainda conforme Lobinho, mesmo com essa comprovação, somente a prova do IML deve ser validada para a confirmação do estupro. Além do depoimento de F.B.S., o delegado também ouviu a criança que estava na companhia dos pais. As duas audiências na polícia foram acompanhadas pela presidente do Conselho Tutelar de Pariconha, Sandra Silva Lima. Vítima e acusado são vizinhos e o crime ocorreu no início da noite de sábado, num matagal próximo à casa onde moram.

Mais matérias
desta edição