app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Polícia

Onze s�o presos com armas e drogas no Sert�o

Arapiraca – Uma operação conjunta envolvendo policiais civis e militares, ontem, nos municípios de Água Branca e Pariconha, no Sertão do Estado, resultou na prisão de onze suspeitos por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. Todos foram recolhi

Por | Edição do dia 10/07/2015 - Matéria atualizada em 10/07/2015 às 00h00

Arapiraca – Uma operação conjunta envolvendo policiais civis e militares, ontem, nos municípios de Água Branca e Pariconha, no Sertão do Estado, resultou na prisão de onze suspeitos por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo. Todos foram recolhidos para a Delegacia Regional de Delmiro Gouveia, onde passam por averiguações sobre a participação de cada um deles nos delitos. As prisões são resultado dos mandados expedidos pelo juiz da Comarca de Água Branca, Rômulo Vasconcelos, após três meses de investigações com o objetivo de combater o tráfico de drogas e roubos na região. Além de drogas, os policiais também apreenderam revólveres e espingardas. “Estávamos investigando estas pessoas há uns dias e é mais uma operação no Sertão para reduzir a criminalidade. Elas são acusadas de roubo e tráfico e foram pegas com armas e drogas”, declarou a delegada Ana Luísa Nogueira. Na relação dos presos divulgada pela polícia estão Pedro Alves Machado, 59 anos; Euclides Paulo dos Santos, 65; Ivanildo de Jesus, 40; Edmilson Barbosa Pinto, 43; Wanderson Conceição do Nascimento, 22; Márcia Lima dos Santos, 30; Manoel Pereira, 23; José Cícero Nascimento, 22; Francisco dos Santos, 20; Givaldo José da Silva, 49; e Maria José de Jesus, de 66 anos, presa juntamente com dois filhos sob a acusação de tráfico de drogas. “Seguimos com as averiguações, para identificar o papel de cada um deles nos crimes”, informou o delegado regional de Delmiro Gouveia, Rodrigo Cavalcante. Ainda segundo os policiais que participaram da ação, os suspeitos comercializavam maconha. Os que foram pegos com armas, caso fique comprovado que não havia envolvimento com o tráfico ou que a arma não seja de uso exclusivo da polícia ou das Forças Armadas, devem pagar fiança e responder em liberdade. Os demais, segundo o delegado, ficarão à disposição da Justiça.

Mais matérias
desta edição