app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Polícia

Agentes denunciam PM por amea�a e agress�o

O Ministério Público Estadual vai solicitar investigação policial contra o segundo-sargento reformado da Polícia Militar de Alagoas, Arnaldo Luiz Reis de Moura, 49 anos, para apurar denúncia de desacato, dano ao patrimônio público, ameaça de morte e lesão

Por | Edição do dia 18/08/2015 - Matéria atualizada em 18/08/2015 às 00h00

O Ministério Público Estadual vai solicitar investigação policial contra o segundo-sargento reformado da Polícia Militar de Alagoas, Arnaldo Luiz Reis de Moura, 49 anos, para apurar denúncia de desacato, dano ao patrimônio público, ameaça de morte e lesão corporal. Ele é apontado como o homem que aparece com uma arma em punho, em um vídeo gravado na noite do último domingo, reagindo a uma notificação de infração de trânsito, no bairro da Jatiúca. As imagens mostram que, ao ser notificado por estacionar em local proibido, o policial aborda a equipe da Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT), empurra um dos agentes, xinga com palavras de baixo calão e ameaça com a arma. Algumas pessoas intercederam tentando conter o homem que, segundo a equipe da SMTT, deixou o local em fuga pela contramão, dirigindo seu próprio carro. Mas, antes, amassou a viatura de fiscalização do trânsito com um chute. Com os dados do veículo, os agentes recorreram à ajuda de um posto da Operação Policial Litorânea (Oplit) e constataram que o carro – um Fiat Punto de placa NMI-7531 e cor prata – pertence ao policial. Em seguida registraram ocorrência no Centro Integrado de Operações de Defesa Social (Ciods). Ontem, no início da tarde, acompanhados de colegas de trabalho, do superintendente Tácio Silveira e do diretor de Operações da SMTT, Carlos Calheiro, eles foram recebidos pelo promotor de Justiça Flávio Gomes, da Promotoria de Controle Externo da Atividade Policial do Ministério Público Estadual, a quem entregaram uma representação contra o sargento e pediram providências e acompanhamento do caso. “Vamos solicitar investigações da Corregedoria da PM e oficiar o Conselho de Segurança (Conseg). O vídeo mostra uma série de situações que precisam ser investigadas e punidas: lesão corporal, ameaça, porte de arma, dano ao patrimônio público e desacato”, diz o promotor.

Mais matérias
desta edição