app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Polícia

J�ri condena motoboy a 14 anos de pris�o

Porto Calvo – O motoboy Adgerson Antônio da Silva, 35 anos, foi condenado, ontem, a 14 anos de prisão em regime fechado pelo homicídio qualificado que teve como vítima a balconista Liliana dos Santos Silva, 19. O crime aconteceu em julho de 2006, em Porto

Por | Edição do dia 21/08/2015 - Matéria atualizada em 21/08/2015 às 00h00

Porto Calvo – O motoboy Adgerson Antônio da Silva, 35 anos, foi condenado, ontem, a 14 anos de prisão em regime fechado pelo homicídio qualificado que teve como vítima a balconista Liliana dos Santos Silva, 19. O crime aconteceu em julho de 2006, em Porto Calvo, e chocou a população do município, situado a 100 km de Maceió. O julgamento foi presidido pelo juiz da 1ª Vara, João Paulo Martins. A defesa anunciou que vai apelar para tentar reduzir a pena. O julgamento começou por volta das 9h30, e a decisão do Tribunal do Júri foi anunciada às 14h30. Adgerson foi condenado, inicialmente, a 24 anos de prisão em regime fechado. Entretanto, o magistrado reduziu a pena a 18 anos em decorrência da confissão do crime feita pelo motoboy. Como ele havia ficado preso durante quatro anos à espera do julgamento, o período também foi considerado e deduzido. A pena, então, foi fixada em 14 anos de prisão. “O júri acolheu a tese da acusação de motivo fútil e de uso de meio cruel. Ela foi morta a facadas, com diversos golpes na coxa”, disse o promotor de Justiça substituto, Adriano Jorge Barros, que teve como assistente de acusação a defensora pública Elaine Zelaquett. O promotor recordou que, durante os depoimentos à polícia, Adgerson mudou a versão por diversas vezes. O motoboy trabalhava juntamente com Liliana em uma padaria localizada na Rua do Varadouro, no município de Porto Calvo. Ele chegou a apontar o patrão de ambos como mandante do crime, mas, ao final, assumiu sozinho o homicídio.

Mais matérias
desta edição