app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Polícia

Corpo � achado em guarda-roupa

O pacato povoado de Massagueira, no município de Marechal Deodoro, sempre foi conhecido por sua beleza exuberante e a culinária regional, que atrai pessoas de toda parte. Na madrugada do último domingo, 23, porém, a tranquilidade foi quebrada pelo registr

Por | Edição do dia 25/08/2015 - Matéria atualizada em 25/08/2015 às 00h00

O pacato povoado de Massagueira, no município de Marechal Deodoro, sempre foi conhecido por sua beleza exuberante e a culinária regional, que atrai pessoas de toda parte. Na madrugada do último domingo, 23, porém, a tranquilidade foi quebrada pelo registro de um crime praticado com requintes de crueldade. A vítima foi o jovem de 18 anos José Alexandre Dias de Oliveira, o “Quinho”, como era chamado por familiares e amigos. O corpo foi encontrado dentro de um guarda-roupa, com um cinto amarrado ao pescoço, seminu, com manchas de sangue na região genital – numa indicação de que pode ter sido violentado sexualmente –, marcas de agressão a pauladas, manchas roxas por todo o corpo. O lugar do crime: a casa de Cristiano Messias Gomes da Silva, de 31 anos, na Rua São Miguel, em Massagueira. Cristiano foi preso em flagrante e confessou o crime. Segundo o delegado de Marechal Deodoro, Tiago Prado, o réu confesso responde por crime de roubo, estava em liberdade vigiada desde julho deste ano. Usava, inclusive, uma tornozeleira, equipamento eletrônico para o controle do preso nesse tipo de caso. Cristiano, de acordo com o delegado, também vinha sendo investigado por tráfico de drogas. Na casa também estavam um homem identificado pela polícia como “Noia”, que conseguiu fugir, outro conhecido como Alisson e uma mulher conhecida como Gleissinha. O casal, que teria um romance, foi preso, conduzido à Central de Flagrantes, alegou inocência e, como não havia provas contra eles até o momento da prisão, foi solto. Já Cristiano foi preso e, da delegacia de Marechal, seria encaminhado ainda ontem ao sistema prisional, em Maceió.

Mais matérias
desta edição