app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Polícia

Universit�ria � encontrada morta

A universitária Lilianne da Silva Cirino, de 25 anos, que estava desaparecida desde o dia 15 de agosto, teve o corpo encontrado, no início desta semana, em um matagal situado no povoado Cabreiras, em Marechal Deodoro. A polícia informou, ontem, que a jove

Por | Edição do dia 02/09/2015 - Matéria atualizada em 02/09/2015 às 00h00

A universitária Lilianne da Silva Cirino, de 25 anos, que estava desaparecida desde o dia 15 de agosto, teve o corpo encontrado, no início desta semana, em um matagal situado no povoado Cabreiras, em Marechal Deodoro. A polícia informou, ontem, que a jovem foi assediada até o local, onde foi estuprada, estrangulada e, em seguida, carbonizada. Dois homens foram presos por envolvimento no crime – o dono de duas farmácias, pela suspeita de ser o autor intelectual, e o ex-funcionário de um desses estabelecimentos, que confessou ser o assassino. A investigação apontou que Lilianne tinha dívidas com drogas e, por isso, foi morta a mando do empresário. Na madrugada de ontem, foram presos Luciano Lúcio Teixeira, proprietário de uma farmácia em Marechal Deodoro e de outra em Maceió; e Isael Dias dos Santos, o ‘Iel’, de 22 anos. O inquérito, comandado pelo delegado Thiago Prado, indicou que o crime foi ordenado por Luciano devido a uma dívida que Lilianne teria com ele sobre drogas e não pagou. De acordo com a polícia, há indícios claros de que o empresário tem relação forte com o tráfico de drogas na região. A jovem, inclusive, foi agredida diante de algumas pessoas, na noite do crime, pelo próprio suspeito, por causa do débito. O relato foi passado por testemunhas. O trabalho da polícia foi iniciado cerca de 24 horas depois do desaparecimento. A estudante foi vista pela última vez bebendo em um churrasquinho localizado em um posto de combustíveis, no trevo da Praia do Francês. Ela estava na companhia de uma colega da cidade e de mais dois homens, com quem se divertiu durante a noite e começo da madrugada. Imagens do circuito interno de TV, instalado no estabelecimento, ajudaram a identificar as pessoas com quem Lilianne estava.

Mais matérias
desta edição