app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5735
Polícia

Mais um suspeito de golpe milion�rio � preso

Um homem de 42 anos foi preso, em Olinda (PE), suspeito de golpes que geraram um prejuízo de US$ 10 milhões (quase R$ 40 milhões). De acordo com a polícia, ele se autointitulava ‘O Rei do Minério’ e oferecia às vítimas uma sociedade para exportação de min

Por | Edição do dia 11/09/2015 - Matéria atualizada em 11/09/2015 às 00h00

Um homem de 42 anos foi preso, em Olinda (PE), suspeito de golpes que geraram um prejuízo de US$ 10 milhões (quase R$ 40 milhões). De acordo com a polícia, ele se autointitulava ‘O Rei do Minério’ e oferecia às vítimas uma sociedade para exportação de minério de tantalita, que é usado no mercado de eletrônicos. No entanto, entregava outro material, de valor bem mais baixo. Preso no último dia 4 de setembro, Amadeu Delanhy Bertho da Silva era procurado pela polícia e Ministério Público de Alagoas. No mês de julho o homem suspeito de ser um dos líderes da organização criminosa, Álvaro Vieira de Melo Cativo, 32 anos, foi preso em Maceió. Amadeu Delanhy vai responder por crime de exportação fraudulenta e evasão de divisas, além do crime de estelionato. Ele foi levado para o Centro de Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, Grande Recife, e deve ser trazido para o sistema prisional de Alagoas. Segundo a polícia, o mineral, que não é radioativo e não absorve calor, é bastante valorizado no mercado, sendo importado por empresas que fabricam eletrônicos, por exemplo. O minério utilizado pelo estelionatário era retirado de uma mina no Rio Grande do Norte. Amadeu Delanhy foi preso na casa onde vivia, em Bairro Novo, Olinda. Segundo a polícia, ele era alvo de um mandado de prisão preventiva, expedido pela 17ª Vara Criminal de Alagoas. De acordo com a polícia, uma das vítimas do golpe foi uma italiana que veio investir no Brasil. Ela teve um prejuízo inicial de R$ 400 mil. Após a primeira parte do golpe, Amadeu Delanhy apresentou à vítima o comparsa Álvaro Vieira de Melo Cativo, que seria alguém que poderia ajudá-la a quitar as dívidas. Com Álvaro Vieira, ela perdeu mais R$ 2 milhões.

Mais matérias
desta edição