app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Polícia

Bando � preso por venda de armas

Arapiraca – Em operação para combater a criminalidade no Estado, policiais civis e militares e integrantes do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), do Ministério Público Estadual (MPE), prenderam 10 suspeitos de venda ilegal de arm

Por | Edição do dia 16/09/2015 - Matéria atualizada em 16/09/2015 às 00h00

Arapiraca – Em operação para combater a criminalidade no Estado, policiais civis e militares e integrantes do Grupo Estadual de Combate às Organizações Criminosas (Gecoc), do Ministério Público Estadual (MPE), prenderam 10 suspeitos de venda ilegal de armas e apreenderam armamento e munição, ontem, no município de Penedo, localizado às margens do Rio São Francisco, Sul do Estado. De acordo com a polícia, foram cumpridos 18 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo juiz da 4ª Vara de Penedo, Ygor Vieira, e que tinham como alvo um grupo que teria cigano entre seus integrantes. Nove homens e uma mulher foram levados para a Delegacia Regional de Penedo. Na lista constavam os nomes de Jurineide dos Santos, 51 anos de idade; Caio Ramos, 20; Edilson da Silva, 56; Edson da Silva, 58; Ronaldo Ramos, 45; Josimar dos Santos, 25; Cassiano dos Santos, 21; Gildo Ramos, 30; Célio Roberto da Silva Santos, 37, e Ediran da Silva Santos, 28 anos. Com o grupo foram apreendidos cinco revólveres, duas pistolas, um rifle 44 e mais de 100 munições. Os policiais informaram ainda que o objetivo principal da operação foi o combate ao porte ilegal de armas, mas que os presos também seriam suspeitos de outros crimes. Mais de 80 policiais participaram da operação. O delegado regional de Penedo, Guilherme Martim Iusten, confirmou que todos os integrantes do grupo fazem parte de uma comunidade de ciganos, residentes na Vila Matias, e disse que eles foram presos em flagrante por porte de arma de fogo e munição. Como esse tipo de crime cabe fiança, já que as armas não eram de uso restrito, o delegado arbitrou pagamento de 30 salários mínimos para cada um dos dez presos, para que possam responder às acusações em liberdade. O juiz Ygor Vieira também pode determinar habeas corpus, caso solicitado, em favor dos acusados.

Mais matérias
desta edição