app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5718
Polícia

Presa quadrilha de pistoleiros pernambucanos

Uma operação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) capturou, ontem, em São Miguel dos Campos, o pernambucano Gerônimo Francisco da Silva, 29, conhecido por “Mano”, acusado de chefiar uma quadrilha de pistolagem e desmanche de carros que vem aterrorizando

Por | Edição do dia 06/03/2002 - Matéria atualizada em 06/03/2002 às 00h00

Uma operação da Polícia Rodoviária Federal (PRF) capturou, ontem, em São Miguel dos Campos, o pernambucano Gerônimo Francisco da Silva, 29, conhecido por “Mano”, acusado de chefiar uma quadrilha de pistolagem e desmanche de carros que vem aterrorizando as regiões da mata sul de Pernambuco e o norte de Alagoas. Junto com Mano, foram presos Heleno Pergentino da Silva, 36, e Edmilson Ferreira de Lima, 19, que também são de Pernambuco. A quadrilha foi presa quando tentava levar para São Paulo um caminhão Mercedes amarelo, placa BRF-2924/SP, roubado no município pernambucano de Palmares. Na carroceria do veículo, que está com o chassi adulterado, os acusados levavam um Verona preto, placa BJF-3432/SP, que foi puxado em Santo André, município paulista, e era utilizado pelo bando para cometer crimes em Pernambuco e Alagoas. Segundo o inspetor da PRF, José Edson, que comandou a prisão da quadrilha, Gerônimo da Silva é acusado de ter cometido três homicídios em Palmares e será autuado em flagrante por roubo de carros. “Já temos em mãos o mandado de prisão do Mano. Ele e seus comparsas deverão ser levados para Pernambuco, ainda hoje”, afirmou. José Edson explicou que outros três integrantes da quadrilha, que estavam em um Voyage dourado, conseguiram escapar da barreira policial montada na BR-101. “Eles estavam dando cobertura ao caminhão. O bando já havia conseguido furar vários bloqueios policiais em Pernambuco”, contou. Informante O inspetor José Edson, que  comanda a 2a Delegacia da PRF, com sede em Atalaia, revelou que as informações sobre o paradeiro da quadrilha foram passadas por José da Silva, pai de João Justino do Amaral da Silva, 20, que teria sido executado a tiros por Gerônimo da Silva, há três anos. “Ele seguiu o bando de Palmares até o momento da prisão e foi fundamental na captura da quadrilha, que tem ramificações nos municípios alagoanos de Novo Lino e Campestre”, concluiu José Edson.

Mais matérias
desta edição