app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Polícia

Adolescente morre em confronto

Um adolescente de 17 anos foi morto em confronto com policiais durante uma ação da Polícia Militar na manhã de ontem, no Conjunto Carminha, situado no Benedito Bentes, em Maceió. Ele teria roubado uma moto e foi perseguido pelos policiais, resistiu à pris

Por | Edição do dia 25/02/2016 - Matéria atualizada em 25/02/2016 às 00h00

Um adolescente de 17 anos foi morto em confronto com policiais durante uma ação da Polícia Militar na manhã de ontem, no Conjunto Carminha, situado no Benedito Bentes, em Maceió. Ele teria roubado uma moto e foi perseguido pelos policiais, resistiu à prisão e trocou tiros com a guarnição, que realizava uma operação na região para coibir roubos. Policiais do 5º Batalhão de Polícia Militar (BPM) foram acionados para atender a um chamado de roubo na região, as 10h da manhã. Eles saíram em busca do jovem identificado como Maxwell Silva de Oliveira, que foi acusado de roubar uma motocicleta. O garoto foi avistado pela guarnição, mas não obedeceu à voz de prisão e tentou empreender fuga, jogando uma espingarda 12 no chão, pulando o muro de uma residência e, em seguida, correndo pelas ruas do bairro. Em dado momento, o jovem teria disparado contra os policiais do batalhão com um revólver calibre 38 e os militares revidaram, ferindo-o. Maxwell foi socorrido pela própria guarnição para o minipronto-socorro Denilma Bulhões, que fica no bairro, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito. O corpo do acusado foi encaminhado ao Instituto Médico Legal Estácio de Lima, no Prado, onde será feito o exame de necropsia e em seguida será liberado para sepultamento. Segundo o comandante da PM, Maxwell Silva seria integrante de uma quadrilha que age na região do Benedito Bentes. As armas encontradas com o acusado foram apreendidas pela PM. “Maxwell pertencia a um grupo criminoso que vem agindo na região praticando vários crimes. Já sabemos que esses assaltos são ordenados pelo ‘Chocolate’, estamos tentando capturá-lo”, relatou o comandante do 5º Batalhão, coronel Amorim, ouvido pela Gazeta. * Sob supervisão da editoria de Cidades.

Mais matérias
desta edição