app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5717
Polícia

Soldado que matou pescador � condenado e perde a farda

O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri do Pilar voltou a se reunir, ontem, e condenou o soldado PM Valdemir Gomes Cordeiro, o “Tamarino”, que constava como réu no processo do assassinato do pescador José Aldo França da Silva, executado a tiros de revó

Por | Edição do dia 08/03/2002 - Matéria atualizada em 08/03/2002 às 00h00

O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri do Pilar voltou a se reunir, ontem, e condenou o soldado PM Valdemir Gomes Cordeiro, o “Tamarino”, que constava como réu no processo do assassinato do pescador José Aldo França da Silva, executado a tiros de revólver na noite do dia 28 de outubro do ano passado, dentro de uma boate no centro da cidade, distante 37 quilômetros de Maceió. O juiz Rodolfo Osório Gatto Hermane, da comarca local, impôs uma pena de oito anos de reclusão a serem cumpridos no Estabelecimento Prisional Baldomero Cavalcanti. Com isto, Valdemir perdeu a patente, visto que, no caso de uma condenação superior a dois anos, o militar é excluído das fileiras da corporação. O soldado PM Valdemir Gomes Cordeiro tinha sido preso e autuado em flagrante pelo delegado do Pilar, Ivanildo Inácio de Brito, logo após matar José Aldo. O delegado relatou à Justiça que o crime foi praticado por motivo fútil, com o agravante de o militar estar embriagado quando assassinou a vítima. Após a sentença, o soldado “Tamarino” foi conduzido por uma guarnição da Polícia Militar para o presídio Baldomero Cavalcanti, onde cumprirá sua pena. No julgamento anterior, também presidido pelo juiz Rodolfo Osório, a traficante Rosilene Maria da Silva foi condenada a 17 anos de prisão, juntamente com seus cúmplices Cosme Ferreira de Lima e Jurandir Bezerra da Silva Filho, no processo do assassinato de Cícero Nogueira de Lima. O crime aconteceu há dois anos na Chã do Pilar. A vítima foi assassinada a tiros e golpes de faca-peixeira.

Mais matérias
desta edição