app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5715
Polícia

Preso detento que assassinou vizinho a facadas em Guaxuma

O detento João Durval de Almeida Filho, 24, condenado a cinco anos por assalto à mão armada em Maceió, foi preso no sábado, no distrito de Guaxuma, pela Polícia Civil, após se envolver em uma briga de rua. João Durval, que estava em liberdade condiciona

Por | Edição do dia 19/03/2002 - Matéria atualizada em 19/03/2002 às 00h00

O detento João Durval de Almeida Filho, 24, condenado a cinco anos por assalto à mão armada em Maceió, foi preso no sábado, no distrito de Guaxuma, pela Polícia Civil, após se envolver em uma briga de rua. João Durval, que estava em liberdade condicional, disse que no dia 2 de fevereiro matou a golpes de faca, no Conjunto Santos Dumont, no Tabuleiro do Martins, Clebson de Godoy Alves, 24, que o teria ameaçado de morte com ciúme de sua esposa. “Matei o elemento porque ele andou falando que eu seria assassinado”, afirma João Durval. O detento afirmou que “levei muito azar ao ser preso”. Estava de plantão naquele sábado justamente o delegado Manuel Bezerra, do 10º Distrito, que vinha investigando o homicídio de Clebson de Godoy Alves. “Assim que o João Durval chegou preso e foi conduzido para minha sala, não tive dúvidas de que estávamos diante de um crime esclarecido em minha jurisdição. E o próprio João Durval assumiu o crime”, relata o delegado Manuel Bezerra. Ontem mesmo a autoridade policial informou que vai solicitar a prisão preventiva do reeducando. Um parente da vítima que esteve no distrito o reconheceu como o elemento que aplicou os golpes de faca em Clebson. Disse que o crime foi cometido por pura perversidade. Segundo essa pessoa, cujo nome é mantido em sigilo, Clebson foi golpeado e morto porque negou um cigarro ao criminoso. Esta versão, inclusive segundo o próprio delegado, está sendo investigada pelos policiais. “Esta é uma linha que está sendo apurada”, salienta o delegado Manuel Bezerra.

Mais matérias
desta edição