app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 0
Polícia

Pol�cia vai ouvir cunhado de prefeito

O delegado regional de Delmiro Gouveia, Rômulo Monteiro, deve ouvir, na próxima semana, o depoimento do cunhado do prefeito de Piranhas, Inácio Loyola. Júnior Lisboa foi ferido com seis tiros, num atentado que resultou na morte de João Vieira da Silva e J

Por | Edição do dia 17/01/2004 - Matéria atualizada em 17/01/2004 às 00h00

O delegado regional de Delmiro Gouveia, Rômulo Monteiro, deve ouvir, na próxima semana, o depoimento do cunhado do prefeito de Piranhas, Inácio Loyola. Júnior Lisboa foi ferido com seis tiros, num atentado que resultou na morte de João Vieira da Silva e José Cristiane da Silva Duarte. O crime aconteceu na última segunda-feira. As investigações mais recentes reforçam o entendimento da polícia de que o crime foi praticado por vingança. O alvo dos criminosos era mesmo o cunhado de Inácio Loyola. Júnior teria envolvimento em um crime de homicídio ocorrido na região e estava jurado de morte. No momento do atentado, ele estava num bar, acompanhado de João Vieira da Silva, quando chegaram três homens, não identificados, sacaram de suas armas e começaram a atirar. João morreu na hora. José Cristiane, que estava no balcão do estabelecimento, foi ferido com vários tiros e morreu ao dar entrada no hospital Antenor Serpa, em Delmiro Gouveia. Ao contrário do que a polícia informou inicialmente, o atentado ocorreu no bairro Área Verde, localizado na periferia de Delmiro Gouveia, e não no município vizinho de Piranhas, onde o cunhado Júnior Lisboa é prefeito. Ontem pela manhã, um assessor de Loyola declarou que a família não sabe quem tem interesse em matar Júnior, que se encontra hospitalizado, em Aracaju.

Mais matérias
desta edição