app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5717
Polícia

Morre crian�a espancada em Palmeira

Morreu na UTI da Unidade de Emergência Armando Lages a menina de 1 ano e 8 meses espancada pela mãe de criação, Marinalva da Conceição, 45, no Sítio Luciana, em Palmeira dos Índios. A acusada já está presa. A criança, identificada inicialmente como Karina

Por | Edição do dia 16/04/2002 - Matéria atualizada em 16/04/2002 às 00h00

Morreu na UTI da Unidade de Emergência Armando Lages a menina de 1 ano e 8 meses espancada pela mãe de criação, Marinalva da Conceição, 45, no Sítio Luciana, em Palmeira dos Índios. A acusada já está presa. A criança, identificada inicialmente como Karina Maria Conceição, não suportou os ferimentos internos e faleceu, na madrugada do último sábado. Na manhã de domingo, os pais biológicos da vítima, Manoel Nascimento da Silva e Maria Aparecida da Silva, levaram uma certidão, na qual a menina é registrada como Maria Gorete da Silva, seu nome verdadeiro. Eles negam ter vendido a filha. “Nós entregamos a menina para que eles criassem em razão de sermos pessoas pobres”. O delegado Tarciso Vitorino confirmou, ontem, ter colocado em liberdade o agricultor João Bento da Silva, 67, marido de Marinalva, em virtude de não ter encontrado provas de que ele era o responsável pela ruptura do hímen da criança. É que os médicos do IML chegaram à conclusão de que o hímen se rompeu por causa da violência com que a mãe de criação atingiu o abdômen, com uma vara de madeira. Foi a suspeita de estupro que levou a polícia de Palmeira dos Índios a iniciar investigações com a finalidade de descobrir as causas do sangramento vaginal e das fraturas sofridas pela menina, que recebeu os primeiros socorros no hospital local e foi transferida, em seguida, para a Unidade de Emergência, em Maceió.

Mais matérias
desta edição