app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5712
Polícia

Quadrilha executa 2 em menos de 72 horas como queima-de-arquivo

Duas pessoas mortas e três presas. Este é o resultado de uma tentativa de queima de arquivo ocorrida em Rio Largo, nas últimas 72 horas. Segundo a polícia, a quadrilha suspeita de envolvimento no assalto seguido de morte do taxista José Ulisses Gracindo

Por | Edição do dia 24/04/2002 - Matéria atualizada em 24/04/2002 às 00h00

Duas pessoas mortas e três presas. Este é o resultado de uma tentativa de queima de arquivo ocorrida em Rio Largo, nas últimas 72 horas. Segundo a polícia, a quadrilha suspeita de envolvimento no assalto seguido de morte do taxista José Ulisses Gracindo, crime ocorrido na última terça-feira naquele município, distante 27 quilômetros de Maceió, passou a se desentender e executou dois possíveis cúmplices. Leandro Ferreira da Silva, 15, sofreu atentado à bala, no último domingo, na Avenida Getúlio Vargas, no centro da cidade, morrendo na Unidade de Emergência Armando Lages. No início da tarde de ontem, ocorreu um novo assassinato, tendo como vítima Sérgio Chagas, 24, executado a tiros de espingarda calibre 12 e revólver 38, na Rua Cândido Lins, também no centro, próximo ao prédio do Correios. Após assassinar a segunda vítima, os criminosos renderam o motorista de uma Parati, táxi, obrigando-o a deixar o local pela Ladeira da Chesf, onde o cadáver do taxista Ulisses foi abandonado. Um acidente porém, tinha levado ao local dois policiais de trânsito, o sargento PM Correia e o soldado M. Correia. “Quando mandamos que o motorista parasse, pois o veículo vinha em alta velocidade, eles começaram a atirar”, informou o sargento. Os irmãos Sérgio, o “Índio” e Eduardo Soares Mora, o “Macaco”, foram presos pelos militares, enquanto o terceiro envolvido nos crimes, Ivanildo Lopes da Silva, foi localizado pela equipe do delegado Oldemberg Paranhos, num canavial próximo. Os três foram autuados em flagrante e confessaram inicialmente ter matado Sérgio Chagas, por vingança. O latrocínio e a morte do menor continuam sendo investigados pelo delegado.

Mais matérias
desta edição