app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Polícia

Estrela: prefeita volta com salvo-conduto

| GILVAN FERREIRA Repórter A prefeita de Estrela de Alagoas, Ângela Garrote (PP), que conseguiu um salvo-conduto do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Edson Vidigal, para evitar a sua prisão, decretada no último dia 13 pelo des

Por | Edição do dia 23/12/2005 - Matéria atualizada em 23/12/2005 às 00h00

| GILVAN FERREIRA Repórter A prefeita de Estrela de Alagoas, Ângela Garrote (PP), que conseguiu um salvo-conduto do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Edson Vidigal, para evitar a sua prisão, decretada no último dia 13 pelo desembargador Orlando Manso, não deu expediente ontem na Prefeitura de Estrela de Alagoas. Segundo a assessoria de comunicação do Tribunal de Justiça, a decisão do ministro Edson Vidigal não foi definitiva. A prefeita Ângela Garrote teve garantido o direito de ir e vir, mas o mérito do pedido de habeas-corpus ainda vai ser julgado pelo pleno do STJ, provavelmente, em fevereiro. Também deve ficar para fevereiro o julgamento pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do recurso da prefeita contra a sua cassação, que foi determinada pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE). Ângela Garrote, que se mantém no cargo por uma liminar, é acusada de compra de votos e de utilizar uma manobra para poder se candidatar à sucessão do seu marido, Ântônio Garrote. A prefeita também é acusada de ser a mandante do assassinato da amante do marido - falecido em setembro deste ano -, Maria Jaciara de Santana, crime ocorrido em Arapiraca, em 1999. Ângerla Garrote também é suspeita na morte do sindicalista José Roberto Rezende Duarte, o “Robertinho”, crime praticado em março de 1999, em Palmeira dos Índios. GRANDE ESTILO A Gazeta apurou que Ângela Garrote deve reassumir o cargo hoje, inclusive, os seus assessores estariam preparando uma “grande festa” para recebê-la na prefeitura. Ela deixou Estrela de Alagoas no último dia 12 e era considerada foragida. Enquanto a prefeita esteve foragida o município de Estrela de Alagoas ficou sem comando. O vice-prefeito José Teixeira não assumiu o cargo. Nesse ínterim, Ângela Garrote mantinha contatos diários com os seus principais assessores e secretários municipais. Defesa Ontem, o advogado de Ângela Garrote, Marcelo Teixeira, disse que ainda não havia conseguido falar com a prefeita e não soube confirmar se ela reassume o cargo hoje. Teixeira reafirmou que não acreditava no envolvimento de sua cliente no assassinato da amante do marido dela, Maria Jaciara de Santana. “Eu ainda não consegui falar com a prefeita Ângela Garrote depois da decisão do STJ. Eu acredito na inocência de Ângela Garrote nesse crime e vamos provar isso na Justiça. Com relação a reassumir o cargo, na verdade, ela não se afastou, mesmo nesse período que estava aguardando o recurso na Justiça, ela estava trabalhando normalmente”, disse Marcelo Teixeira.

Mais matérias
desta edição