app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Polícia

Menina de 7 anos morre em explos�o

EDNELSON FEITOSA Repórter Uma menina de sete anos morreu, na noite da última terça-feira, durante incêndio em uma residência do Conjunto Vale do Mundaú, na Cambona. Nayara Vieira dos Santos estava deitada no sofá assistindo televisão, quando o tanqu

Por | Edição do dia 12/01/2006 - Matéria atualizada em 12/01/2006 às 00h00

EDNELSON FEITOSA Repórter Uma menina de sete anos morreu, na noite da última terça-feira, durante incêndio em uma residência do Conjunto Vale do Mundaú, na Cambona. Nayara Vieira dos Santos estava deitada no sofá assistindo televisão, quando o tanque da motocicleta do pai, Hélio Sérgio Vieira dos Santos, 31, explodiu e toda a sala pegou fogo. Hélio sofreu queimaduras graves e está internado na Unidade de Emergência Armando Lages. A dona-de-casa Maria Zenaide Santos da Silva, 29, que quebrou o pé esquerdo fugindo das chamas, declarou ontem no IML de Maceió, onde aguardava a liberação do corpo da filha, que o marido tinha acabado de chegar em casa e colocado a moto na sala, quando percebeu que havia um vazamento no tanque e decidiu retirar a gasolina. O combustível estava sendo colocado num depósito, quando ocorreu um curto-circuito na fiação da sala, que serviu como ignição para o incêndio. Ela afirmou que estava no quarto com outros três filhos menores, quando ocorreu a explosão. “Minha filha ficou quieta no meio das chamas e nós não tivemos chances de salvá-la. Meu marido bem que tentou, mas não teve jeito. Ela acabou morrendo”, declarou Maria Zenaide. Para escapar do fogo, Maria Zenaide precisou pular o muro dos fundos. Do outro lado, ela pegou as três crianças que foram jogadas por Hélio, que apesar das queimaduras no tórax, nas pernas e no braço esquerdo ainda teve forças para ajudar os filhos a subir. Hélio teve cerca de 70% do corpo queimado e está hospitalizado. Maria recebeu atendimento de urgência e foi liberada da Unidade de Emergência. As três crianças não sofreram lesões. O casal havia se mudado para a casa do Conjunto Vale do Mundaú, na Cambona, no final do ano passado. “Fazia cerca de uma semana que estávamos naquela casa e eu já queria me mudar. Achava pequena, pois éramos nós dois e quatro crianças, num imóvel de dois cômodos”, disse. No entanto, o marido argumentava que o preço era compatível com a situação financeira da família. Ontem, os vizinhos do casal lamentavam a tragédia. “Parecia até que ela estava adivinhando, pois dizia sempre que queria ir embora”, declarou uma senhora. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas não conseguiu evitar a morte da criança.

Mais matérias
desta edição