app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5729
Polícia

Assaltante acusa deputado e vereador

| GILVAN FERREIRA Repórter O assaltante José Cláudio dos Santos, o “Carioca”, preso na última quinta-feira pelo delegado de Roubos e Furtos de Veículos, Carlos Alberto Reis, revelou ontem a participação de um deputado estadual e do vereador de Rio La

Por | Edição do dia 14/01/2006 - Matéria atualizada em 14/01/2006 às 00h00

| GILVAN FERREIRA Repórter O assaltante José Cláudio dos Santos, o “Carioca”, preso na última quinta-feira pelo delegado de Roubos e Furtos de Veículos, Carlos Alberto Reis, revelou ontem a participação de um deputado estadual e do vereador de Rio Largo Alexandre Cardoso da Silva (PV), o “Júnior Pagão”, como líderes de uma quadrilha que teria praticado mais de 12 seqüestros nos últimos três meses em Alagoas. O grupo também estaria envolvido em assaltos a cargas e roubos de veículos. Ontem, Carioca levou a polícia a três cativeiros que tinham sido utilizados pela quadrilha nos conjuntos Village Campestre, Gama Lins e Santos Dumont, em Maceió. Segundo o delegado, Carioca e o outro integrante da quadrilha, conhecido como Bal, revelaram detalhes das ações criminosas do grupo, formado por mais de 12 assaltantes. “Carioca disse que recebia encomendas para roubar veículos que seriam utilizados pela quadrilha para os seqüestros. Ele recebia entre R$ 1 mil e R$ 1,5 mil, e também participava da operação do seqüestro”, disse Reis. O delegado acrescentou que o assaltante confirmou a participação do vereador de Rio Largo Júnior Pagão, que teve a prisão decretada na semana retrasada pela juíza Marlene Madeiros. O delegado Reis disse que o assaltante também revelou o nome de um deputado estadual que é acusado de liderar a quadrilha, que estaria próxima de ser desarticulada, com a prisão de mais dois integrantes. “Ele disse o nome do deputado, mas não vamos revelar ainda, para não atrapalhar as investigações policiais. Estamos trabalhando agora para prender os outros integrantes do grupo, além do vereador Júnior Pagão, que continua foragido”, afirmou Reis. Durante a operação, que foi acompanhada por policiais do Tigre, comandados pelo delegado José Laurentino, Carioca e Bal ficaram frente a frente com algumas vítimas de seqüestro, entre elas a estudante Marcela Ricciardi, seqüestrada em novembro. A quadrilha também é acusada de seqüestrar o empresário Antônio Antunes Filho, herdeiro do Grupo Café Afa; Gláucia Maria de Araújo Sampaio, da Max Drogaria, e a estudante Laviolete Patrícia de Araújo, filha do empresário paraibano Luís Firmino de Araújo, da churrascaria Espettos do Picuí. Os quatro seqüestros teriam rendido R$ 160 mil.

Mais matérias
desta edição