app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Polícia

Mais um �nibus � assaltado na estrada

| EDNELSON FEITOSA Repórter Um dia depois de deixarem 20 passageiros de um microônibus abandonados na caatinga, próximo a Delmiro Gouveia, após assalto na Rodovia BR-110, bandidos voltaram a atacar ontem numa estrada federal em Alagoas. Seis homens arma

Por | Edição do dia 21/01/2006 - Matéria atualizada em 21/01/2006 às 00h00

| EDNELSON FEITOSA Repórter Um dia depois de deixarem 20 passageiros de um microônibus abandonados na caatinga, próximo a Delmiro Gouveia, após assalto na Rodovia BR-110, bandidos voltaram a atacar ontem numa estrada federal em Alagoas. Seis homens armados de pistolas e espingarda calibre 12 interceptaram o ônibus da empresa São Geraldo, prefixo 20025, placa GSV 4453/MG, e roubaram os 27 passageiros que viajavam do Rio de Janeiro para Natal, no Rio Grande do Norte. O motorista Genivaldo de Souza Barbosa contou ter visto uma picape Ranger, cor preta, nas imediações do “trevo da morte”, no Pilar. “A Ranger ultrapassou o ônibus e, alguns quilômetros à frente, encontrei o veículo atravessado na pista e seis homens apontando armas, inclusive de grosso calibre”, relatou Genivaldo, que é alagoano. O assalto ocorreu no Km 81 da BR-101, próximo à Usina Santa Clotilde, no município de Rio Largo. Segundo o motorista, os assaltantes invadiram o ônibus e o levaram para um canavial, onde todos os 27 passageiros foram roubados. “Eles colocaram a bagagem e os objetos de valor que pegaram com os próprios passageiros e colocaram na Ranger, fugindo em seguida”, declarou Genivaldo. Mário Gasgon Aranda perdeu 2 mil dólares e mais 1.400 reais, além de roupas, jóias, celular e máquina digital. Augusta Maria da Silva teve roubados R$ 1.051,00, em dinheiro, e uma bolsa com objetos pessoais. O prejuízo estimado pelos passageiros é superior a R$ 20 mil, somente em dinheiro. A carioca Vera Lúcia Moreira Alves lamentava a perda da máquina fotográfica Olimpos Trip com flash. “Não é o valor. Eu tinha esta máquina há muitos anos”, declarou ela, ressaltando que o governo do Estado precisa se preocupar com o problema de segurança em Alagoas. “Isto vai prejudicar o turismo. Vai terminar ninguém querendo vir para cá”, declarou ela, que estava indo visitar o Rio Grande do Norte. O industriário Edmar Pinheiro, que reside no Espírito Santo, foi mais radical: “As autoridades de Alagoas precisam ter vergonha na cara e erradicar os assaltos nas estradas de uma vez. Isto é resultado da falta de governo. Eu não tive prejuízo, pois não viajo com dinheiro, mas foi uma ação absurda, ficamos todos aterrorizados”. Maria Aparecida, Terezinha Rosa Rodrigues e Severina alegaram ter vivido momentos de terror nas mãos dos assaltantes, principalmente quando eles ameaçaram despir as mulheres, e que, se encontrassem dinheiro escondido nas peças íntimas elas seriam executadas no canavial. “Foi difícil convencer os bandidos”, declarou Vera Lúcia. DESAFIO O inspetor federal Lacerda revelou que os bandidos fizeram várias ligações para o posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), denunciando a ocorrência de assaltos nas rodovias BR-101 e 104. “Nós estávamos com uma barreira montada na BR-101, em Joaquim Gomes. Acredito que eles estavam tentando desmobilizar a polícia. Se atacaram tão próximo a Rio Largo, o que não ocorria há mais de um ano, foi por causa do bloqueio”, afirmou.

Mais matérias
desta edição