app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5730
Polícia

Solto suspeito em assalto a juiz na Barra

| REGINA CARVALHO Repórter O diretor de Polícia Metropolitana (Demep), Alcides Andrade, informou ontem que a polícia já tem os nomes de dois suspeitos - Jonatas e Josadaque - que suspostamente estariam envolvidos no assalto à família do juiz goiano Dan

Por | Edição do dia 26/01/2006 - Matéria atualizada em 26/01/2006 às 00h00

| REGINA CARVALHO Repórter O diretor de Polícia Metropolitana (Demep), Alcides Andrade, informou ontem que a polícia já tem os nomes de dois suspeitos - Jonatas e Josadaque - que suspostamente estariam envolvidos no assalto à família do juiz goiano Danilo Meireles, na Barra de São Miguel, e em outros crimes no Litoral Sul. “Conversei com a delegada da Barra (Sheila Carvalho) e ela me confirmou que um rapaz identificado como Anselmo, apontado por ligação com a dupla prestou depoimento no Tigre sobre o assalto, mas foi liberado”, contou Alcides Andrade. Segundo ele, no depoimento à delegada não foi encontrado argumento suficiente para manter Anselmo preso. O diretor-geral da Polícia Civil, delegado Robervaldo Davino, declarou em um programa de rádio local que estranhou a liberação do suspeito pelo Tigre, mas não adiantou detalhes. O assalto ao juiz aconteceu no início deste mês e foi praticado por oito homens que levaram dois veículos - um Ecosport e outro Dobló, este encontrado carbonizado em Satuba - e mais R$ 1.500, jóias, aparelhos de TV e som e roupas. O bando teria também estuprado parentes do juiz. Na delegacia da Barra de São Miguel, a informação do diretor-geral da Polícia Civil não foi confirmada. Agentes policiais disseram que desconhecem a prisão de um suspeito no assalto à mansão. “Nem confirmo, nem desminto. Estamos investigando ainda”, informou o chefe de serviço da delegacia, Elias Nascimento. Por várias vezes a Gazeta tentou contato com a delegada Sheila Carvalho Dantas, que preside o inquérito, para confirmar a declaração dada pelo diretor-geral da Polícia Civil. Entretanto, ela não atendia o celular e também não estava na delegacia. Os agentes policiais confirmaram apenas que as investigações estão sendo mantidas em sigilo. A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que o suspeito foi solto porque ainda não havia sido confirmada a participação dele no assalto.

Mais matérias
desta edição