app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5728
Polícia

Assalto a lancha ainda est� sem apura��o

| REGINA CARVALHO Repórter Três dias após o ousado assalto ao vereador por Maceió Berg Hollanda (Prona), à noiva dele, presidente da Câmara Municipal de Traipu, vereadora Conceição Tavares e um grupo de amigos, a Polícia Civil ainda não iniciou as inve

Por | Edição do dia 01/02/2006 - Matéria atualizada em 01/02/2006 às 00h00

| REGINA CARVALHO Repórter Três dias após o ousado assalto ao vereador por Maceió Berg Hollanda (Prona), à noiva dele, presidente da Câmara Municipal de Traipu, vereadora Conceição Tavares e um grupo de amigos, a Polícia Civil ainda não iniciou as investigações. A abordagem de três marginais, que levaram celulares, cartões de crédito, dinheiro, objetos pessoais e a lancha do vereador, aconteceu na Ilha Bora-Bora, no Pontal da Barra, na tarde do último domingo, enquanto o grupo se divertia tomando banho na Lagoa Mundaú. O diretor do Departamento Metropolitano de Polícia (Demep), delegado Alcides Andrade, informou que o caso está sendo investigado pela Delegacia de Roubos e Furtos (DRF), localizada no bairro do Jacintinho. Entretanto, o delegado titular da especializada, Cícero Lima, mandou avisar que o inquérito não está em seu poder e que possivelmente estaria na Roubos e Furtos de Veículos (RFV), no Pontal da Barra. Por sua vez, o delegado Carlos Alberto Reis, que responde pela RFV, disse que “até agora não recebeu procedimento algum e não está sabendo de nada sobre o assalto, apenas o que foi divulgado pela imprensa”. Sem pistas O vereador Berg Hollanda declarou que até agora ninguém da Secretaria de Defesa Social entrou em contato com ele e que não existem pistas dos assaltantes. Mesmo assim, ele está tentando, por conta própria, encontrar os homens que praticaram o assalto. “Tudo continua na mesma. Um colega meu reconheceu um deles (assaltantes) na Ponta Grossa, mas não tive nenhuma novidade no caso. Não sei quem está investigando”, lamentou Hollanda. José Augusto Brito, encarregado da segurança de tráfego aquaviário da Capitania dos Portos, informou que os inspetores navais fizeram a sua parte no dia do ocorrido. “Nosso objetivo era a embarcação, que já foi recuperada. Agora a investigação fica por conta da Polícia Civil”, detalhou. Surpreso com a forma como aconteceu o assalto ao vereador, ele conta que há três anos ocupa essa função e que nunca soube de assaltos a embarcações ou a alguém que estivesse conduzindo uma delas. “No dia do assalto nossa equipe estava trabalhando no local. Desde que estou aqui, esse foi o único caso. Acho que essa é uma nova modalidade de assalto”, completou o encarregado da segurança. O funcionário da Capitania dos Portos conta que são 45 inspetores navais para fazer a segurança em 250 quilômetros de litoral, além do complexo lagunar. Abordagem Os assaltantes portavam arma de fogo e tinham por volta de 20 anos. Um deles manteve, a todo instante, uma pistola 380 apontada para a cabeça do vereador. Berg Hollanda prestou queixa, na última segunda-feira, no Ciapc I, localizado no bairro do Farol.

Mais matérias
desta edição