app-icon

Baixe o nosso app Gazeta de Alagoas de graça!

Baixar
Nº 5731
Polícia

Empreteiro � levado de casa no Tabuleiro

Esposa da vítima informou à polícia que ele é empreiteiro de usina e que o dinheiro para pagamento de funcionários desapareceu Mais uma denúncia de seqüestro em Maceió. O empreiteiro José Maria dos Santos, 55, que reside no Conjunto Jardim Saúde, no Tab

Por | Edição do dia 11/02/2006 - Matéria atualizada em 11/02/2006 às 00h00

Esposa da vítima informou à polícia que ele é empreiteiro de usina e que o dinheiro para pagamento de funcionários desapareceu Mais uma denúncia de seqüestro em Maceió. O empreiteiro José Maria dos Santos, 55, que reside no Conjunto Jardim Saúde, no Tabuleiro do Martins, foi levado de casa por homens armados, na última quarta-feira. Os marginais roubaram também objetos da residência da vítima e seu carro, o Celta, preto, modelo 2005, placa MVH 7633/AL. A denúncia de seqüestro foi feita na última quinta-feira ao delegado Geraldo Soares de Carvalho, de plantão na Deplan II, no Tabuleiro do Martins, pela esposa da vítima, Maria José da Silva, 29. Ela afirmou que quando chegou em casa estava tudo revirado e havia marcas de sangue no sofá e na sala de estar, como se o marido tivesse brigado para escapar dos seqüestradores. Viagem Maria José declarou à polícia que, no início da semana, viajou para Branquinha para visitar parentes, onde iria aguardar José Maria dos Santos; só que ele não apareceu. Ela afirmou ter tentado contato com o empreiteiro pelo telefone. No entanto, não obteve sucesso. Na quarta-feira, telefonou novamente, mas ele não atendeu, fato que apressou seu regresso para casa. Quando chegou em sua residência, na última quinta-feira, econtrou a porta aberta e tudo estava revirado. “O sofá e o chão estavam sujos de sangue”, afirmou. Não achou nenhuma informação do companheiro na residência, onde percebeu que tinha acontecido um assalto, seguido de seqüestro. “Eles roubaram um DVD, uma TV, quatro caixas de perfume e roupas dela e da vítima. “Meu marido desapareceu”, explicou ela na Delegacia de Plantão II, no Tabuleiro. Maria José revelou que o marido é empreiteiro de usina e trabalha sempre com muito dinheiro para efetuar pagamento de funcionários. Ela não sabe quanto, mas notou que o dinheiro também sumiu. “Foi um seqüestro, porém eles não entraram ainda em contato comigo”, disse. A falta de notícias dos seqüestradores assusta Maria José, que procurou a polícia, porque não tinha a quem pedir ajuda.

Mais matérias
desta edição